um blogue pessoal com razões e emoções á esquerda

UM BLOGUE PESSOAL COM RAZÕES E EMOÇÕES À ESQUERDA

terça-feira, 27 de junho de 2017

frase do dia

“Passos, o bombeiro pirómano”
PEDRO TADEU, DN
27 DE JUNHO DE 2017

AM PAREDES

Ordem do Dia da Sessão Ordinária da Assembleia Municipal de Paredes , de 30 de junho de 2017

1.     Relatório de atividades municipais e situação financeira do município – para conhecimento
2.    13.ª Modificação ao Orçamento – 3.ª revisão ao PPI – 1.ª REVISÃO AO pam – para discussão e votação
3.     Relatório do Auditor Externo de informação sobre a situação económica e financeira do Município de Paredes do exercício de 2016 – para conhecimento
4.     Relatório do Auditor Externo de informação sobre a situação económica e financeira do Município de Paredes relativo ao 1.º Trimestre de 2017- parta conhecimento
5.    Relatório de acompanhamento e monitorização no âmbito do Programa de Apoio á Economia Local – para conhecimento
6.    Proposta de acordo de regularização de dívida a celebrar com a empresa Águas do Norte – para discussão e votação
7.    Proposta de regulamento do polo de empreendedorismo da Casa da Juventude –para discussão e votação
8.     Desafetação do domínio público de uma parcela de terreno em Lordelo – para discussão e votação
9.     Proposta para a não aplicação da actualização da tarifa de resíduos sólidos urbanos – para discussão e votação
10.   Associação Nacional de Assembleias Municipais (ANAM) – apreciação e votação de proposta de adesão a Associação de Direito Privado
11.   12 . Proposta de Concessão de incentivos ás empresas MAS – QMC, Comércio de Produtos Quimicos Lda; NJ- Perfect Machine, Lda
13.   14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24.25. 26. 27. 28. 29. 30. 31. 32. 33.; Pedido de reconhecimento de interesse publico municipal ás empresas Ideias d’Encastre , Unipessal, Lda; Fernando Morais &Filho, Lda; Móveis Garcês e Filhos, Lda; Manuel Meireles, Unipessoal, Lda; Nogueiras e Barbosa  Ind. Mobiliário Lda; Argumento Lógico Lda; Ind. Mob. A Boa Arte de Pacheco e Silva Lda; Excellence en Bois, Lda; Sonmovingui Unioessoal, Lda; Francisco Sousa &Paulo Sousa , Lda; Venâncio Ferreira Coelho; Cozidias – Indústria de Mobiliário, Lda; José Manuel Barros , Lda; João Cruz dos Santos; José Manuel Ferreira Santos Leal ¸Campos e Filhos , Lda; Campos Móvel SA; José Carlos Mendes Silva Unipessoal, Lda; ELA – Estabilização Liquidos Alimentares , Lda; Requinte Adequado, Unipessoal, Lda; Gabino &Filhos- Indústria de Mobiliário, Lda;
34. Arruamento de ligação da zona industrial da Serrinha á A41 entre Gandra e Rebordosa – Declaração de interesse público – para discussão e votação
35. Sinalização na freguesia de Sobrosa- para discussão e votação
36. Área Metropolitana do Porto – documentos de prestação de contas 2016 – para conhecimento


SÓ FALTAVA MAIS ESTA!

Alguém quer criar uma Associação Nacional de Assembleias Municipais. O tema constitui o ponto 10 da Ordem do Dia da Sessão Ordinária da Assembleia Municipal de Paredes, da sexta feira dia 30 de junho.

Para quê uma Associação Nacional de Assembleias Municipais? A Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e a Assembleia Nacional de Freguesias (ANAFRE) não representam os autarcas portugueses, na sua especificidade, representatividade e e pluralidade, e a dinâmica do Poder Local Democrático? A quem interessa o divisionismo e a criação de um fórum de diversão perante as exigências concretas das comunidades locais em face do centralismo do País?

Estamos perante uma INUTILIDADE.

Não serão palcos de desfile de vaidades pessoais ou de exercício  verbalista de intenções os que responderão a necessidades de reflectir, agindo e de agir com reflexão. As Assembleias Municipais, embora carecendo de uma  reorientação das suas competências e estruturas de funcionamento, só se dignificam quando exercem a sua actividade de acordo com a Lei e em articulação com os Executivos.

A posição da CDU só pode ser de votar NÃO.


CR

domingo, 25 de junho de 2017

número do dia

37

Em 37 anos ardeu o equivalente a 40% do País

balanço musical do blog

Letras N, O e P

Natalia Juskiewicz – Um Violino No Fado
Nathalie Cardone - Hasta Siempre
Ney Matogrosso – Homem Com H
Ney Moreira ft Dada – Deus Da Si Mo (em 2014)
New Young Pony Club - Ice cream
Nick Cave & The Bad Seeds – Do You Love Me? (em 2015)
                                                 I Do Dear I Do (em 2016)
                                                 Jubilee Street
Nils Frahm- Re (em 2015)
Nirvana - Lithium
Noiserv – I Was Trying To Sleep When Everyone Woke Up (em 2014)
                Palco do Tempo
Norah Jones – Take It Back
Nu Soul Family – This is For My People (em 2013)
Omar Sosa- My Three Notes (em 2014)
Oquestrada – Oxalá te veja
                       Parei Na Madrugada (em 2014)
                       Se Esta Rua Fosse Minha
Orelha Negra –A Cura
                       - Juras? (em 2013)
                       - M.I.R.I.A.M.
                        - Since You’ve Been Gone / A Memória
Ornatos Violeta – Chaga
                             Como Afundar
                             Devagar
                             Ouvi Dizer
                             Tempo De Nascer
Os Contemporâneos - Salvem Os Ricos
Oswaldo Montenegro – Metade
Otis Redding – Sitting On The Dock Of The Bay (em 2013)
Outernational – Todos Somos Ilegales
Ozark Henry – Sweet Instigator
Pablo Milanés – El Breve Espacio Em Que No Estás
Paco de Lucia- Entre Dos Aguas
Paco Ibãnez – A Poesia é Uma Arma Carregada de Futuro
Paolo Fresu – Geometrie Dell Anima
Paolo Fresu & Omar Sosa – Alma
Patricia Barber – Winter
Patti Smith – People Have The Power (em 2014)
Patxi Andion – Nos Pasaram La Cuenta (em 2014)
                       Rogelio
Pearl Jam- Black
                  Got Some
                  Just Breathe (em 2013)
                   Sirens (em 2014)
Pedro Abrunhosa – Vamos em Contramão (em 2013)
Pedro Code – Last Flowers (em 2016)
Pedro e Diana – Dançam os Esqueletos
Pedro Moutinho & Mayra Andrade- Alfama
Pedro Osório – O Beijo do Sol
Pentangle – The Bonny Boy
Perpetuum Jazzile – Africa (em 2013)
Peter, Bjorn & John - Young Folks
Peter Gabriel - Games Without  Frontiers (em 2014)
Peter Murphy – Strange Kind Of Love (em 2013)
Peter, Paul & Mary- Blowin in the Wind
Pé Na Terra – Reticências De Abril (em 2013)
Pi De La Serra – La Cultura (em 2014)
                            Si Els Fills De Puta Volessin No Veuríem Mai El Sol
Pierre Aderne & Jorge Palma – Preciso Mentir Que Te Amo
Pink Floyd- Dark Side Of the Moon´
                   Dogs
                   Fat Old Sun
                   The Postwar Dream
                   The Wall
                   Wots Uh The Deal
Pixies –  Hey  
              Where Is My Mind
PJHarvey – The Glorious Land
Placebo – In The Cold Light Of Morning (em 2014)
                 Too Many Friends (em 2013)
Post War Years - Volcano
Presuntos Implicados – Te Recuerdo Amanda
Primal Scream- Loaded
Prince- Purple Rain

Procol Harum – A Salty Dog (em 2013)

Sensible Soccers - "Zaire 1974" ao vivo no Portugal 3.0

sexta-feira, 23 de junho de 2017

INAUGURAÇÃO DO MERCADO DA TERRA EM PAREDES




FRASE DO DIA


“… Deste homem, que é presidente da maior potência mundial, basta dizer que foi o inventor da «pós-verdade» ou seja, a mentira como instrumento legítimo da vida política, decorrendo, de enxurrada, o desprestígio generalizado do exercício politico e governamental em qualquer circunstância ou sentido. Na escala de valores que instituiu, chamar-lhe palhaço, fascista, imbecil ou hedonista é simples «matéria de propaganda» dos seus «inimigos» ….”


 Henrique Custódio (em Avante!)

QUANDO O ICEBERGUE COLIDE CONNOSCO

O esquema é o mesmo de sempre. A denúncia fundamentada de corrupção e de tráfico de influências envolve mais uma vez autarcas, empresários, líderes políticos regionais, dirigentes desportivos. Em comum o mesmo, o PSD, o mesmo PSD, de Dias Loureiro, a Oliveira Costa, do BPN, de Isaltino, de inúmeros negócios e inúmeras falcatruas. Num País civilizado, o PSD de Cavaco, de Santana , de Passos Coelho, estaria a contas no Tribunal Constitucional com um processo de extinção, acusado de ter sido veículo evidente de acesso e domínio de Mafias que se apoderaram do Estado.

Agora chama-se Operação Ajuste Secreto. São contratos de obras públicas suspeitos, crimes de corrupção e peculato, tráfico de influências para colocação de pessoas em empregos de instituições públicas. É o vice presidente da FPFutebol  Hermínio Loureiro (que não é,  embora pareça, homónimo de Valentim), o ex deputado e ex- presidente da CC Desenvolvimento Região Norte João Sá , um actual presidente da câmara de Oliveira de Azeméis, um “Zito”, e empresários, empresários, tudo gente de imagem sedutora, sorriso fácil,  e sempre mas sempre a diferença entre o património real e os rendimentos lícitos declarados em 14 milhões de euros.

 Claro que há outros, do PS e do CDS, igualmente já “rastreados” quanto a ética politica. Mas o PSD vence a todos, com maioria absoluta, no pântano da podridão politica e da corrupção. Com a óbvia cumplidade de muitos, seja juízes, jornalistas, detentores de cargos políticos, militantes do PSD e a cumplicidade do voto das pessoas. Que ainda não perceberam que os 14 milhões de euros, no caso, lhes saiu do bolso.


CR

quarta-feira, 21 de junho de 2017

domingo, 18 de junho de 2017

A HIPOCRISIA PERIGOSA


Inaudito. Poucos dias depois do novo Presidente dos Estados Unidos da América Donald Trump ter criticado o Qatar, colocando-se em discurso ao lado da Arábia Saudita e dos seus aliados, os Estados Unidos da América anunciaram ter chegado a acordo com Doha para a venda de caças de combate F-15. O negócio ficou fechado pelo valor de 12 mil milhões de dólares (há quem fale em 15 mil milhões de dólares por 36 F-15). É muito incompreensível  isto do ponto de vista ético vulgar e até duvidoso do ponto de vista geopolítico, uma vez que o Qatar encontra-se no meio de um bloqueio articulado e que resulta nas próprias palavras de Trump da sua recente visita á Arábia Saudita.

O que faz correr uma santa aliança constituída pelos Estados Unidos, Arábia Saudita, Israel, países do Golfo, Egipto, Mauritânia, Senegal, Jordânia, Comores e outros pequenos países muçulmanos contra o Qatar? O que está por trás deste bloqueio?

Os pretextos e exigências são vários sob a capa risível do “combate ao terrorismo”: corte de relações diplomáticas com o Irão, expulsão do Hamas palestiniano e fecho contas bancárias, expulsão da corrente jihadistas dos Irmãos ou Fraternidade Islâmica, cessação da emissão da rede televisiva Al-Jazeera.  Mas será “isso”?

A realidade porém é que o Qatar, país muito pequeno, tornou-se o país mais rico do planeta, com um imenso campo de gaz (South Pars) no Golfo Pérsico que partilha com o Irão.  Sem deixar de se assumir e definitivamente apoiante primário do terrorismo, seu financiador e instrumento (o que lhe destruiu recursos e imagem) o Qatar vem-se assumindo como independente da estratégia saudita.  E colocou-se com voz própria como interlocutor e mesmo competidor ao nível da Rússia no mercado internacional do gaz natural liquefeito.

Acresce que é precisamente no Qatar que se localiza a maior base militar dos EUA no Médio Oriente. É a base de Al-Udeid , a 30 km de Doha, com onze mil soldados dos EUA , e uma pista de 3,8km de comprimento, provavelmente a maior base aérea dos  Estados Unidos em todo o mundo.  E também no Qatar se localiza o Centro de Comando  Avançado dos EUA  para a zona do Médio Oriente e Ásia. E não menos importante, a Al- Jazeera constitui um instrumento de influência politica, religiosa e cultural  desde o passado de promover as chamadas “primaveras árabes” até o apoio mediático a operações terroristas  no presente. Compreende-se mal  que os EUA (ao contrário de Israel) pudessem arriscar deitar tudo a perder com uma guerra, perdendo aliados , instalações e redes de influência.

Assim a “guerra” contra o Qatar é uma farsa. Pelos pretextos e pelos condicionalismos geopolíticos. A favor do Qatar estão a Turquia, a Alemanha e o Irão. Um grupo com menos dinheiro do que a “santa aliança” mas com mais poder de fogo. E em melhor situação militar do que os EUA (o policia do mundo) e a Arábia Saudita, atolada na guerra do Iémen. O Irão apressou-se a romper o bloqueio fornecendo alimentos. E a Turquia disponibiliza tropas para o terreno. Estamos possivelmente perante uma tentativa de reorganização do islão politico, que não abdicando de princípios religiosos de construção do Estado,  abandona as clivagens artificiais criadas entre sunitas e xiitas, e o projecto de um Estado Jihadista, e que articula Teerão, Ancara, Gaza , Doha e alguma cidade síria ou iraquiana.

São os produtos petrolíferos e as rotas comerciais que tornarão esta região como apetecível em paz para Londres, Moscovo ou a China. E as multimilionárias vendas de armas recentes aos dois países árabes poderão ter sido o último episódio de um passado de sangue e dor, com muita interferência externa e muita hipocrisia.  

Alguns poderão pensar que isto não nos interessa. Mas quanto mais conhecermos o nosso vizinho, mais facilmente podemos conviver com ele.

CR

FRASE DO DIA

"Qatar compra 36 aviões F-15 aos EUA por 12 mil milhões de dólares”
AGÊNCIA LUSA
15 DE JUNHO DE 2017

sábado, 17 de junho de 2017

iniciativa


Dantesco



Pedrogão Grande , Figueiró dos Vinhos , 17-6-2017
Actualização 57 MORTOS, CARBONIZADOS DENTRO DE CASAS E AUTOMÓVEIS E POR INALAÇÃO DE FUMO

Cronologia 

O fogo teve ignição às 14h00 deste sábado na povoação de Escalos Fundeiros, no concelho de Pedrógão Grande, norte do distrito de Leiria. Foi a trovoada seca que causou as chamas, associado a “condições meteorológicas atípicas” e que se verificaram em simultâneo, com ventos fortes e frequentes mudanças de direcção, humidade escassa e temperaturas elevadas.
Criaram-se quatro frentes de incêndio – três das quais, na noite de sábado, eram consideradas violentas. As chamas alastraram para localidades de outros dois concelhos: Castanheira de Pêra e Figueiró dos Vinhos. 
As vítimas mortais:  uns tiveram o azar de serem apanhados pelo fogo, outros morreram por inalação de fumo quando observavam o fogo“. Foram encontrados 30 mortos dentro de viaturas, 17 pessoas fora de viaturas ou nas margens da estrada nacional 236 (que liga ao IC8) e, ainda, 11 pessoas em zonas rurais. Muitas aldeias cercadas pelo fogo e isoladas, com a situação agravada por falhas no fornecimento de energia elétrica e nas comunicações. Estão no terreno 682 bombeiros a combater as chamas em Pedrógão Grande, apoiados por 219 viaturas mais quatro pelotões do Exército, 2 aviões Canadair 

quinta-feira, 15 de junho de 2017

PARA QUE NÃO SE POSSA FALAR DE E-MAILS

Procurava eu falar do seu conteúdo, mas disseram-me que podiam ser falsos. 
E mesmo se não fossem falsos teriam  sido obtidos violando a lei.
E mesmo se não fossem falsos ou ilegais eram garantidamente irrelevantes.
E mesmo se não fossem falsos, ilegais ou irrelevantes, nada provavam certamente de uma conduta irregular.
Eram de 2013-2014, o que os tornava desactualizados, dizem. 
Estou convencido.
É assim como Fátima 1917, não há aparições mas sim visões. 
Aqui não há corrupções, antes condicionamentos de poder. 
E surpreendentemente muita gente nobre a mudar de amo. 
Como na Idade Média.

CR

a verdade de Omran Daqneesh





O Representante Permanente da Federação Russa na ONU Alexei Borodavkin disse que “o famoso símbolo do sofrimento de Aleppo” Omran Daqneesh foi usado pela “vergonhosa propaganda” dos media Ocidentais, numa conferência de imprensa nos escritórios da ONU em Genebra, quarta feira.
Borodavkin afirmou que Daqneesh “foi usado pelos vencedores dos Óscares Capacetes Brancos'” que de acordo com o embaixador russo “exploraram a sua imagem na sua vergonhosa propaganda em vez de lhe fornecer ajuda.”
O pai de Daqneesh, Mohammad Kheir Daqneesh, que também falou na conferência de imprensa via videoconferência, afirmou que ficou “muito surpreendido” pela imprensa chegar antes da ambulância.” Ele explicou que a imprensa “começou a tirar fotografias do meu filho antes que a ajuda médica fosse dada ao meu filho. E não pediram sequer a minha permissão.” Ele afirmou que o seu filho “tinha uma pequena lesão, mas eles disseram que ele estava em muito grave condição. Eles começaram a utilizar a imagem do meu filho e de todas as crianças da Síria.” 
O vídeo de Daqneesh, de Agosto último, circulou por todo o mundo. O seu irmão mais velho, Ali, morreu de lesões sofridas no ataque. 

quinta-feira, 8 de junho de 2017

MADAM SECRETARY - os EUA vistos por quem manda


Madam Secretary é uma série americana da CBS que se estreou nos Estados Unidos em setembro de 2014 e que por cá também pode ser vista por Cabo. Retrata a vida de uma ex-agente da CIA que é nomeada secretária de Estado da Defesa pelo Presidente dos EUA. Essa personagem é uma óbvia alusão a Hillary Clinton, então secretária de Estado. 



Importa ver para lhe identificar caracteristicas e propósitos. Criada por Barbara Hall, Lory McCreary e Morgan Freeman, a série em terceira ou quarta temporada procura criar um realismo que surge forçado, de uma governante que comanda a diplomacia internacional e ao mesmo tempo tem uma vida pessoal e profissional digna de registo. O conjunto aparece como inverosímel, com grandes temas internacionais abordados em simultaneo com a vida do dia-a-dia.

O objectivo da série é claro, para além da tentativa (falhada, ao que se viu) de promover Hillary Clinton. Tratava-se de "normalizar" a vida politica americana, de a "humanizar", retirando-lhe os lobis, os milionários, as grandes empresas, os grandes negócios, e acrescentando-lhe episódios tão subtis ou glamorosos como as panquecas queimadas ou os joggings em parques e jardins.

Nada do que é verdadeiramente polémico na vida internacional é retratado. A protagonista da série actua como se fosse realmente a secretária de Estado da Defesa de Bush, de Clinton, de Obama ou de Trump. A visão dos Estados Unidos como líder do mundo, uma visão messiãnica, egocêntrica, eivada de superioridade histórica, e um mundo que quando se opõe á retórica e á praxis americana "leva". Os outros são sempre corruptos, fingidos, estúpidos, indesejados sejam franceses, russos, chineses, terroristas ou idealistas. Os dirigentes americanos são perspicazes, inteligentes e superiores.

O maniqueismo da série da CBS serve para doutrinar pequenas elites no resto do mundo. Não chega para capacitar as grandes massas num projecto de afirmação e soberania. 

CR

quarta-feira, 7 de junho de 2017

NOTA DO GABINETE DE IMPRENSA DO PCP


Contratar mais profissionais, garantir o direito à saúde

O Governo decidiu reduzir em 35% a contratação de trabalhadores através de empresas exteriores ao SNS, médicos, enfermeiros e outros profissionais, que são colocados nas unidades hospitalares onde existe falta de profissionais.
Relativamente a esta decisão, o PCP reafirma a urgência de implementar uma medida por si proposta e incluída na Lei do Orçamento do Estado para 2017, em que o Governo está obrigado a implementar «um programa de cessação gradual dos contratos com recurso ao trabalho temporário e à subcontratação de profissionais de saúde, através de empresas privadas, existentes nos estabelecimentos de saúde do Serviço Nacional de Saúde e, simultaneamente, promove a contratação dos profissionais de saúde necessários sendo-lhes aplicável o regime de contrato de trabalho em funções públicas, por tempo indeterminado».
A medida agora decidida tem de ser assim acompanhada do aproveitamento dos recursos do SNS e da contratação de mais profissionais, dando cumprimento ao que foi inscrito na Lei do Orçamento do Estado, para garantir e elevar a qualidade do Serviço Nacional de Saúde. O PCP em nenhum momento aceitará medidas, que determinadas por razões orçamentais ou outras, se traduzam na degradação do Serviço Nacional de Saúde e no comprometimento da concretização do direito à saúde dos portugueses.
Depois de quatro anos em que o SNS foi confrontado com sucessivos cortes no seu financiamento, os seus trabalhadores desvalorizados profissional e materialmente, política que se fez repercutir negativamente na qualidade do atendimento, colocando muitas vezes em causa a segurança dos utentes, o que os portugueses esperam do Governo são medidas positivas que facilitem o acesso aos cuidados de saúde.


A luta continua


A Candidatura da CDU do concelho de Paredes às Eleições Autárquicas de outubro de 2017 solicitou a diversas instituições desportivas, recreativas, culturais e sociais do Concelho de Paredes Reuniões para tomar conhecimento do conjunto de preocupações dessas instituições bem como poder dar contributos para que alcancem os seus objetivos.  

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Documentário - The Jihadist Next Door

A VERDADE DOS NÚMEROS


O PIB cresceu no primeiro trimestre do ano 2,8% em relação ao primeiro trimestre de 2016 e 1% em relação ao quarto trimestre de 2016. São números compreensíveis pelo comum dos cidadãos, reflectindo uma informação do Instituto Nacional de Estatística. Com os contributos na óptica da despesa e da produção para essa variação. Produzimos mais do que gastamos, em termos gerais. É a tendência recente, embora ténue. Não esquecemos que o PIB do  nosso pais está em termos reais ao mesmo nível de há 12 anos atrás (de 2005)
Desses 2,8% de crescimento, o grosso (cerca de 2,3%) é resultante da procura interna, constituído pelo consumo privado, consumo público e investimento. Os restantes 0,5% são procura externa liquida, constituída por exportações menos importações. Esta informação sendo de mais difícil compreensão pelo leitor, tem contudo sérias consequências. Vejamos as parcelas.
O País cresce quando se estimulam os rendimentos das pessoas, aumentando o salário mínimo, repondo os valores de salários e as pensões, e se promove o consumo. O País cresce aumentando o investimento público e privado, aumentando as exportações e reduzindo as importações. Os que sempre defenderam esta estratégia estavam e estão certos. Os que defenderam outrora (hoje já não, publicamente!) a retracção, a austeridade, a redução do valor do trabalho, a emigração de quadros e famílias, estão errados.
Claro que há (ou havia) investimento público errado, obras faraónicas sem controlo orçamental, projectos de TGV desadequados á realidade. Claro que há (ou havia) recurso fácil a crédito pelos privados, para investimentos financeiros, para consumos de luxo, para vidas corruptas no País e no estrangeiro. Claro que há (ou havia), negócios com comissões milionárias, participações promíscuas no capital de empresas privatizadas por parte de gestores públicos. Mas o ciclo, este ciclo pós cavaquista de regeneração politica e moral, pode e tem de se inverter.
Alguns (nós próprios) identificarão alguns circunstancialismos favoráveis e desfavoráveis á conjuntura económica. O Turismo atravessa uma fase de pujança, sendo nítido o seu contributo para a reanimação económica, os serviços, e a reabilitação urbana. Beneficiamos claramente de zonas turísticas de paz e segurança, em contraste com concorrentes a atravessar grandes dificuldades de captação de correntes turísticas. Até quando? A desvalorização do Euro e os juros baixos, são bons auxiliares da política económica. Até quando? E a criação de Emprego cresceu do primeiro trimestre de 2016 para o primeiro trimestre de 2017 cerca de 150.000. Poderemos manter tal tendência?
Nas importações cujo crescimento em valor ultrapassa o das exportações (que não em volume) sobressai o valor do barril de petróleo Brent que cresceu 59,3% num ano. Este é um factor desfavorável e imprevisível de conter no futuro.
É portanto no aumento da produção nacional, na substituição das importações, na promoção de exportações de elevado valor acrescentado, que devemos apostar. É numa política de auto-suficiência alimentar e energética, de procura de retomar a soberania (com ou sem Euro), que teremos futuro. É acelerando processos de regeneração e modernização do Estado, nomeadamente dos serviços públicos essenciais (Administração Central e Local, Justiça, Educação, Administração Fiscal) que encontraremos no futuro números sustentados.
As famosas agências de rating continuam contudo a desclassificar a situação financeira do País. Num irreprimível augúrio de desgraça, a direita portuguesa alinha nessas previsões pouco sérias. Com a globalização, acentua-se a ideia de promover Estados fracos, com líderes “básicos” e com a livre circulação de capitais a nortear políticas nacionais e internacionais. Às notações das agências de rating só podemos responder com políticas patrióticas e de desenvolvimento.
CR
    

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Os amigos não se esquecem


Javier Solana está de regresso. Fazendo prova de vida. Mais do que isso, fazendo jus ao papel que lhe atribuíram de feitor das ambições e estratégia de dominação imperialista. E sobretudo, revelando que no antro em que se move não há ingratidão. Se alguém julgava que Solana, registada a sua entrega no papel que lhe atribuíram quer como alto-representante da UE para a Política Externa e de Segurança, quer como secretário-geral da Nato, seria deixado à sua sorte, engana-se. O homem é presidente do Centro de Economia Global e Geopolítica da ESADE. Seja isso o que for, não sendo difícil imaginar para o que serve, desamparado Solana não fica. Os amigos são para as ocasiões. Não será em vão que Solana passou da rebeldia juvenil anti-Nato, a ministro do governo do Partido Socialista espanhol, até mandante daquela aliança militar agressiva. Favor com favor se paga. Em artigo publicado há dias, Solana sublinhava o facto de nos dias em que os iranianos foram às urnas «Trump estava a caminho da Arábia Saudita, uma escolha notável para a sua primeira viagem oficial ao exterior». Não fosse a ideia perder nitidez, acrescentou os seus votos para que essa «sua breve visita ao Médio Oriente ajude a criar condições favoráveis para o progresso rumo à paz na região». Um leitor menos atento tomaria a afirmação como um exercício de fina ironia. Conhecido que é o papel da Arábia Saudita enquanto centro de formação e recrutamento do terrorismo (ali se criou e armou a Al-Qaeda), conhecido que ali reside um dos mais obscurantistas e retrógrados estados totalitários do mundo, registe-se quer a escolha do presidente dos EUA, em linha com a política das administrações antecedentes, quer a opinião de Javier Solana. Sendo que neste caso, conhecida que é a sua concepção de «razão humanitária» invocada na sua qualidade de chefe da Nato para desencadear os bombardeamentos contra o Estado jugoslavo, tratou-se apenas de um novo momento para exercitar a noção de diplomacia intrínseca aos centros do imperialismo.
Jorge Cordeiro


quarta-feira, 31 de maio de 2017

FRASE DO DIA

“O euro criou um sistema divergente, onde os ricos ficam mais ricos e os pobres mais pobres”

JOSEPH STIGLITZ, PRÉMIO NOBEL DA ECONOMIA
31 DE MAIO DE 2017

terça-feira, 30 de maio de 2017

as/os esposas/os consortes


A fotografia surgiu no final da Cimeira da NATO. Alguns perguntarão: porquê a fotografia? Que representam estas pessoas? Nada. Claro que podiamos dizer que era a Trump, a Rainha e as outras. Á espera das decisões bélicas da Cimeira. Coitadas! Ansiosas pelas compras, tão ansiadas... O senhor da gravata é ... a prova provada que até nos confrontos bélicos, a arma pode ser...

A NATO é uma organização "moderna". Integra islamitas, protofascistas e até pacifistas. Ah e os vestidos das consortes são iguais a uns á venda na feira de Carcavelos.

CR

Ladrões de Bicicletas: Manifesto a favor do uso da palavra "Esquema"

Ladrões de Bicicletas: Manifesto a favor do uso da palavra "Esquema": Na sessão parlamentar de anteontem, em que foi ouvido o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos Paulo Ralha , a deputada do C...

domingo, 28 de maio de 2017

Sugestão de filme - Ninguém Quer a Noite



Coprodução  Bulgária, Espanha, França | Drama | 118′
  • Atores: Rinko Kikuchi, Juliette Binoche, Gabriel Byrne, Velizar Binev, Matt Salinger
Groenlândia, 1908. Josephine Peary (Juliette Binoche) é uma expedicionária que viaja ao Polo Norte em busca de seu marido, desbravador. Dona de fortes convicções sobre a vida e o seu trabalho, ela muda por completo sua visão do mundo após um inesperado encontro com a esquimó Allaka (Rinko Kikuchi).

Canção do Tempo - Luanda Cozetti e Mafalda Arnauth



Cançao do tempo (JC Ary dos Santos/F Tordo)
"Para um tempo que fica
Doendo por dentro
E passa por fora
Para o tempo do vento
Que é o contratempo
Da nossa demora
Passam dias e noites
Os meses...os anos
O segundo e a hora
E ao tempo presente
É que a gente pergunta
E agora...e agora
Tempo
Para pensar cada momento deste tempo
Que cada dia é mais profundo e é mais tempo
Para inventarmos outro tempo menos lento
Tempo
Dos nossos filhos aprederem com mais tempo
A rapidez que tem de ser o pensamento
Para nascer, para viver, para existir
E nunca mais verem o tempo fugir..."

sábado, 27 de maio de 2017

ADEUS, CAMARADA!


Miguel Urbano Rodrigues
2-8-1925 --27-5-2017





      Jornalista, escritor e militante comunista, Miguel Urbano Rodrigues faleceu este sábado.
Tinha 91 anos. 

http://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/miguel_urbano_rodrigues1.jpg?itok=6ggrXhzJ






Filho de Urbano Rodrigues e irmão do escritor Urbano Tavares Rodrigues, deixa mais de uma dezena de livros publicados em Portugal e no Brasil, de ficção mas também textos políticos, além das reportagens que fez em vários pontos do mundo.  
Foi jornalista do Diário de Notícias, entre 1949 e 1956, e chefe de redação do Diário Ilustrado, entre 1956 e 1957. Durante a ditadura exilou-se no Brasil, onde ocupou o cargo de editorialista de O Estado de S. Paulo e editor internacional da revista brasileira Visão.
No segundo tomo de memórias, intitulado O Tempo e o Espaço em que vivi - II Revolução e Contra-Revolução na América Latina, recorda o interrogatório a que foi submetido na sede da polícia militar brasileira, Operação Bandeirante (Oban), para concluir que manter a dignidade como cidadão, na fidelidade aos seus princípios e ideais, foi o pior desafio que enfrentou. 
Após a Revolução de Abril regressa a Portugal, torna-se chefe de redacção do Avante! e a seguir director de Diário.
Foi presidente da Assembleia Municipal de Moura, terra alentejana que o viu nascer, entre 1977 e 1978, deputado à Assembleia da República pelo PCP, entre 1990 e 1995, tendo ainda pertencido à Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa e da União da Europa Ocidental.