um blogue pessoal com razões e emoções á esquerda

UM BLOGUE PESSOAL COM RAZÕES E EMOÇÕES À ESQUERDA

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Sugestão de leitura - Galápagos , de Kurt Vonnegut


«Essa crise financeira, que hoje jamais poderia acontecer, foi simplesmente a última de uma série de catástrofes criminosas do século XX que se originara, na sua totalidade, nos cérebros humanos. Pelas violências que as pessoas cometiam contra si mesmas e contra as outras, e contra todos os seres vivos, já agora, um visitante de outro planeta poderia ter presumido que o ambiente enguiçara e que as pessoas andavam naquele frenesim porque a natureza estava prestes a matá-las a todas.
Mas o planeta aqui há um milhão de anos atrás possuía tanta água e alimentos como hoje – e era único, nesse aspecto, em toda a Via Láctea. O que mudara fora apenas o que as pessoas pensavam dele.
Por uma questão de justiça para com a humanidade tal como costumava ser: havia cada vez mais gente a dizer que os seus cérebros eram irresponsáveis, inseguros, hediondamente perigosos, completamente irrealistas – não prestavam absolutamente para nada.
No microcosmos do Hotel El Dorado, por exemplo, a viúva Mary Hepburn, que tinha andado a tomar todas as refeições no seu quarto, estava a amaldiçoar o seu cérebro sotto voce por causa do conselho que lhe dava, que era o de se suicidar.
– És meu inimigo – murmurava ela. – Por que havia eu de querer transportar dentro de mim um inimigo tão terrível?»

Galápagos 
Kurt Vonnegut 
1985

sábado, 22 de agosto de 2015

CATARINA, EM GRANDE

Catarina Martins, do BE, diz: Tsipras 'está a fazer o que tem de fazer'. Tsipras demitiu-se e apelou á convocação de eleições antecipadas. Catarina Martins acha bem. Por devolver a voz ás pessoas em novas eleições. Catarina Martins assim disse. Pena não se ter lembrado do referendo. Em que Tsipras devolveu a voz ás pessoas. E…

E depois aceitou um plano que segundo Catarina Martins é mau, e que contém medidas que não correspondem ao mandato que Tsipras teve nas eleições e no referendo. Diz Catarina Martins que as negociações com a Europa correram de maneira diferente do esperado, e que o acordo com os credores traduzido na formalização do novo resgate financeiro foi uma imposição e chantagem. Catarina Martins disse. Mas não explicou quais as garantias que pode dar de que o Syriza de Tsipras tome no futuro medidas correspondentes ao mandato que pretende.

Catarina Martins dirá sempre que Tsipras está a fazer o que geneticamente tem de fazer. Não há dissonância, desacordo, prudência, relativismo, na opinião de Catarina Martins para com Tsipras. O mesmo se pode dizer do BE. E das expectativas futuras. Uma imposição e uma chantagem e as medidas de exercício do poder em divergência ao mandato.

Natural.  


CR

a barbárie continua


Os denominados rebeldes sírios destruiram o antigo mosteiro de Mar Elian, na cidade de al-Qaryatein, provincia de HOMS, A idade do mosteiro remonta ao século 4 D.C. São portanto 1500 anos de História. O mesmo aconteceu em Igrejas e locais sagrados de Raqqa e Deir Ezzor. O mundo deve responsabilizar as nações ocidentais e países árabes que originaram esta catástrofe civilizacional.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

ESPERANDO A LUCIDEZ EXIGIDA PELO MOMENTO

Acompanho sobretudo através da Internet e com regularidade diária a guerra na Síria, tendo contacto dessa forma com o destino de montes, vilas e cidades desse país, outrora desconhecidas e hoje nomes e referências constantes de um presente que vive de dor e de desgraça (Idlib, Aleppo, Al- Zabadani, Deir-el –Zor…)

São 4 anos de múltiplos acontecimentos de uma guerra moralmente imunda e completamente destrutiva, social e economicamente. Washington e outras potências regionais e europeias apostaram numa “mudança de regime”, tal como acontecera com os resultados que sabemos no Afeganistão, no Iraque e na Líbia. A Síria era um país com um desenvolvimento interessante e com prestígio no mundo árabe, nomeadamente no apoio aos palestinianos. Tornar o estado sírio disfuncional, acentuando divisões sectárias tribais e religiosas, promovendo o seu isolamento internacional, constituiu-se em modelo de intervenção externa. De forma determinada planeou-se um Novo Oriente Médio subserviente e dominado por EUA - Israel- Arábia Saudita.

Mas a resposta resistente do povo sírio, apoiando o seu exército nacional, o apoio determinado de alguns aliados históricos (Rússia, China, Libano Xiita e Irão) e a fragmentação das forças internacionais que apoiaram e financiaram a sublevação inicial, constituíram factores decisivos para a evolução recente.

Há uma falsa narrativa da média ocidental que identifica a maioria do povo sírio com terroristas, com extremistas que degolavam gente em público, explodiam hospitais, usavam as armas da limpeza étnica. Desde o início alimentou-se a ficção dos “rebeldes moderados”, mesmo antes do aparecimento do Estado Islâmico, uma criação dos Estados Unidos. Mas o verdadeiro conflito era entre um estado autoritário, mas pluralista e socialmente inclusivo, e várias facções de radicais islamitas (takfiris) de estilo saudita e dezenas de milhares de combatentes internacionais.

A realidade actual mostra uma vida diária a funcionar nas maiores cidades e na costa do Mar Mediterrâneo com escolas, centros desportivos, universidades, uma indústria, comércio e agricultura a funcionarem, apesar dos cortes periódicos de água e de energia e de uma periclitante situação de segurança. Há cidades divididas como Aleppo e periferias em guerra como Damasco. Assiste-se a deslocação de populações, cercos prolongados, muita propaganda e violência.

Há agora países dispostos a encontrar uma solução politica negociada, Destaco o Egipto, a Jordânia, Omã, Emiratos Árabes Unidos, a Tunísia, a Argélia. A realidade actual tornou diferente a interpretação da guerra e dos seus protagonistas, o papel da Irmandade Muçulmana, da Al Qaeda, do jihadismo militante.  Outros contudo persistem em alimentar a guerra, disponibilizando recursos, alimentando a destruição. São a Turquia e a Arábia Saudita, o Qatar e os Estados Unidos. Em breve, as suas populações se perguntarão quais os propósitos do seu alinhamento com criminosos anti-culturais, fanáticos religiosos, na sua cruzada contra cristãos, curdos, turcomenos, assírios, druzos, xiitas e ateus. E até contra pedras milenares da História.


CR

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

MORTE Á MORTE!


Esta imagem mostra o arqueólogo Khaled Asad, Director de Antiguidades do Museu de Palmira junto a um dos preciosos sarcófagos que faziam parte do patromónio daquela cidade.  Khaled Asad,82 anos, foi agora publicamente decapitado após ter sido interrogado durante um mês pelo Estado Islâmico. O seu corpo ficou pendurado numa coluna no centro da cidade. O seu crime: querer salvar Palmira.

Não por vingança, mas por URGENTE defesa de valores universais, grito: MORTE Á MORTE! ACABEMOS COM OS ASSASSINOS!

CR

O PÁTIO DAS CANTIGAS - Trailer Oficial



Não é certamente uma obra - prima do cinema português, mas constitui uma comédia adaptada de um clássico. A ver com alguma tolerância...

CR

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

O SONHO PELOS CORONÉIS PODE SER O SEU ÚLTIMO SONHO

A burguesia brasileira é das mais estúpidas do mundo. As recentes manifestações contra o governo do PT e aliados mostram uma panoia de expressões de boçalidade, agressividade e irracionalidade que ainda surpreendem. Cavalgando justos descontentamentos perante casos de corrupção e usurpação em benefício pessoal e de grupo, a investigar pela justiça, a burguesia nacional, mobilizada pelos detentores dos principais meios de comunicação social e instigada pelos tradicionais instrumentos de desinformação e agitação made in america, pretende hegemonizar o poder estadual e federal, desvirtuando o sentido de voto popular. Confunde-se milhares com milhões, direito á indignação com radicalismo e ameaças de morte, democracia com violência verbal.

Mas o tiro sai pela culatra. São irónicos e imbecis os que publicamente proclamam viver em ditadura ou disso temer no futuro  e defendem a presença de militares golpistas herdados ou filhos dos famosos coronéis brasileiros de outrora. A ditadura militar, a estratificação social ainda muito presente no Rio de Janeiro, S. Paulo ou no interior, a pobreza e a fome da década de 60 e 70 não são bons postais de propaganda.  

Os reais interesses das massas populares, muito maioritárias no Brasil, o desenvolvimento educacional, as políticas assistenciais democráticas e de progresso, constituem factores decisivos de uma politica sempre ao alcance pelos brasileiros. O Brasil deixou de ser um quintal nas traseiras do Império. Passou a ter voz própria no Continente e no Mundo. E assim, deve continuar. E há sempre uma alternativa às expressões do saudosismo conservador e fascista: a Revolução Social e Politica.

CR

humor


A CUSPIDELA DA SERPENTE

Dizia ipsis verbis um tal jornalista Leonídio Paulo Ferreira na SIC Notícias: o candidato de esquerda ás eleições internas do Partido Trabalhista inglês tem uma visão terceiro-mundista porque apoia a causa palestiniana. E acrescentava que contra a sua possível eleição estavam dois ex-primeiros ministros Tony Blair e Gordon Brown, que “alertavam” que esse candidato que as bases do Partido tão admiram, podia ganhar as eleições internas mas não ganharia eleições legislativas porque não captaria o voto do …”centro”.

A terceira via britânica, com amplas ligações ao PS português, tem horror á Esquerda. 

Prefere a direita clássica a qualquer pequeno arroubo esquerdista. Aliada permanentemente a Washington e a Telavive nas suas estratégicas políticas e militares não respeita a tradição histórica do trabalhismo. É uma degenerescência. Tal como o jornalismo opinativo de Leonídio.


CR 

domingo, 16 de agosto de 2015

DINAMARCA E O CAMINHO PARA UMA AGRICULTURA 100% SUSTENTÁVEL


A Dinamarca está a preparar-se para o caminho da agricultura totalmente sustentável. A intenção consta de um projecto do actual Governo que tenciona transformar a agricultura do país em 100% orgânica. O primeiro objectivo, a ser alcançado até 2020, passa por duplicar a quantidade actual de terra cultivada em solos orgânicos.
Recorde-se que a Dinamarca já é o país mais desenvolvido ao nível da comercialização de produtos biológicos. E em 2015 pretende investir mais de 53 milhões de euros para ampliar a agricultura biológica.
A agricultura biológica na Dinamarca está à frente de seu tempo. São já quase 25 anos de existência e aplicação de leis sérias de protecção à natureza, às águas, ao uso de defensivos e outros produtos agrícolas, sendo que 97% da população conhece o seu significado e importância. É um verdadeiro recorde, assim como o fato de que a despesa total de alimentos do país é composta por 8% apenas de produtos certificados. E desde 2007, a exportação de produtos orgânicos na Dinamarca aumentou em 200%.
Uma das intenções do Governo passa também por estimular a procura deste tipo de produtos incentivando o seu consumo. Para incentivar a prática, o Executivo irá beneficiar todos os agricultores que apostem nas práticas «verdes» em prol da agricultura convencional. Em várias cidades do país, vários municípios estão a disponibilizar terrenos baldios para produção biológica.
Com essa óptica, a Dinamarca hoje se propõe trabalhar em duas frentes diferentes: uma delas visa aumentar a quantidade de terras agrícolas que usem agricultura biológica e o outro, estimular uma maior demanda para os produtos de origem comprovadamente orgânica e sustentável.
Assim, serão privilegiados os produtores que quiserem investir na conversão de suas terras, da agricultura convencional para a orgânica e biodinâmica e os projectos que visem o desenvolvimento de novas tecnologias para a promoção da sustentabilidade no campo. Neste contexto já está em marcha, nas prefeituras locais, a ocupação de áreas antes baldias, com produção de hortaliças sazonais, de forma orgânica.
Como primeiro objectivo, o país pretende oferecer às escolas, cantinas e hospitais, até um 60% de alimentos de origem orgânica. Actualmente essas instituições públicas nacionais servem 800 mil refeições por dia. A mesma política, de servir só refeições de origem orgânica, já está sendo ampliada para os ministérios dinamarqueses em suas cantinas.
Na educação já está sendo prevista uma reforma do sistema actual para incluir cursos de nutrição, alimentação saudável e agricultura natural.
Em suma, o país inteiro, com todas suas instituições, marcha junto para transformar-se em uma região livre de agrotóxicos, onde a alimentação saudável é assunto de estado. Um bom exemplo, desde que a realidade no campo não seja “apagada” pela propaganda enganosa da indústria alimentícia.
O que  é a agricultura biológica? 

A Agricultura Biológica é um modo de produção que visa produzir alimentos e fibras têxteis de elevada qualidade, saudáveis, ao mesmo tempo que promove práticas sustentáveis e de impacto positivo no ecossistema agrícola. Assim, através do uso adequado de métodos preventivos e culturais, tais como as rotações, os adubos verdes, a compostagem, as consociações e a instalação de sebes vivas, entre outros, fomenta a melhoria da fertilidade do solo e a biodiversidade.
Em Agricultura Biológica, não se recorre à aplicação de pesticidas nem adubos químicos de síntese, nem ao uso de organismos geneticamente modificados. Desta forma, garante-se o direito à escolha do consumidor e é salvaguardada a saúde do consumidor, ao evitar resíduos químicos nos alimentos. É, além disso, salvaguardada a saúde dos produtores, que evitam o contacto com químicos nocivos e preserva-se o ambiente da contaminação de poluentes, cuja actual carga sobre os solos e as águas é, em grande parte, da responsabilidade de sistemas intensivos de agropecuária.
A produção animal biológica pauta-se por normas de ética e respeito pelo bem-estar animal, praticando uma alimentação adequada à sua fisiologia e facultando condições ambientais que permitam aos animais expressar os seus comportamentos naturais e não recorre ao uso de hormonas nem antibióticos como promotores de crescimento.
A Agricultura Biológica é também conhecida como “agricultura orgânica” (Brasil e países de língua inglesa), “agricultura ecológica” (Espanha, Dinamarca) ou “agricultura natural” (Japão).
Na Europa, a Agricultura Biológica é alvo de legislação específica, estabelecendo normas detalhadas cujo cumprimento é controlado e certificado por organismos acreditados para o efeito. Os produtos de Agricultura Biológica são reconhecidos pelo logótipo europeu de Agricultura Biológica.



alguém explica?


quinta-feira, 13 de agosto de 2015

PARABÉNS E OBRIGADO, COMPANHEIRO

PUBLICADO POR ANTÓNIO SANTOS (em manifesto74.blogspot.pt)



Aos 89 anos, Fidel Castro continua jovem e de boa saúde. Continuará sempre. Porque há muitos anos que deixou de ser apenas a pele que habita, tornando-se na metáfora viva do que mais jovem tem este mundo decrépito.

Por isso, companheiro Fidel, parabéns por nos mostrares que é possível um Estado governado pelos trabalhadores, mesmo que cercado, vilipendiado, bloqueado e atacado por todos os quadrantes, fazer mais e melhor que o resto do mundo.

Obrigado por inaugurares a primeira terra livre de analfabetismo na América Latina. Ainda hoje, Cuba continua a ser o país da América Latina com a menor taxa de analfabetismo e a maior percentagem de escolarização. É a própria UNESCO que te dá os parabéns, Fidel quanto atribui a Cuba o maior índice de Desenvolvimento na Educação do mundo.

É também a UNICEF que te dá os parabéns, quando escreve que «Cuba é um exemplo de protecção na infância», que «Cuba é um paraíso para as crianças da América Latina». Quem te dá os parabéns são as crianças deste planeta que dormem nas ruas do Rio de Janeiro, de Porto Príncipe, de Luanda, de Washington, de Lisboa, de Paris, de todo o mundo, mas nunca da tua ilha.

Quem te dá os parabéns é a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) que reconhece que a tua pátria é «a única do Terceiro Mundo que erradicou a desnutrição infantil».

Quem te dá os parabéns a Organização Mundial de Saúde, por dares ao mundo o país onde os pobres não estão condenados a morrer de doenças estúpidas. De acordo com a OMC, Cuba foi «o primeiro país da América Latina a erradicar doenças infecciosas como o paludismo, a pertússis, a rubéola, a difteria, o sarampo, e a meningoencefalite», entre outros títulos mundiais, como ser «o primeiro país do mundo a erradicar a transmissão da SIDA de mães para filhos».

Quem te dá os parabéns é a New England Journal of Medicine, que declara que o teu país, que dispõe do maior número de médicos por habitante do mundo, «resolveu problemas que os EUA ainda não conseguiram resolver e tem o dobro do nosso número de médicos». Só um monstro é que, independentemente de diferenças políticas, não é capaz de reconhecer o mérito de alcançar, no contexto caribenho da Jamaica e do Haiti, um índice de mortalidade infantil de 4,1 por cada mil nascimentos, abaixo dos EUA, do Canadá ou da Grécia.

Quem te dá os parabéns é a ONU, por teres feito de Cuba o único país do continente que atingiu os Objectivos do Milénio, nomeadamente «erradicar a pobreza extrema e a fome», «alcançar a educação primária universal», «promover a igualdade de géneros e o poder das mulheres» e «reduzir a mortalidade das crianças com menos de cinco anos».

Quem te dá os parabéns é o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), que atribui ao teu sistema o impressionante título de «único país do mundo que atingiu o desenvolvimento sustentável».

Quem te dá hoje os parabéns é o teu povo, em 44.ª posição na lista do desenvolvimento humano. Mas não só os cubanos têm boas razões para celebrar neste dia. Neste mundo há países que dedicam as suas economias a produzir bombas, espingardas, químicos tóxicos e doenças. Tu criaste um país que não exporta morte, mas vida. Desde 1963 o teu país enviou 132 mil médicos que foram oferecer voluntariamente a sua solidariedade e humanismo aos pobres de 102 países do mundo. Com a Operação Milagre, lançada em 2004, o teu sistema devolveu a visão a dois milhões e meio de pessoas em 28 países. Desde 2003, com o programa Sim, Eu Posso, os professores cubanos ensinaram mais de sete milhões de trabalhadores do terceiro mundo a ler e a escrever.

É por isso que o teu sistema também é o meu. É também por isso que a tua pátria adoptiva será sempre a humanidade.


Parabéns e obrigado por tudo, companheiro: mostraste-nos que o segredo de ser jovem aos 89 anos é nunca permitir que a nossa pequena gota de humanidade se dissolva no extenso oceano da barbárie alheia.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Creedence Clearwater Revival - Suzie Q

OS CARTAZES DO PSD / CDS / CAVACO

a Verdade vem sempre ao de cima, como o azeite húngaro



São iguaizinhas...vieram do Wisconsin !


Não há dúvida ... há pouca gente disponivel para ficar associada á direita politica... e ao PS...consta até que votar nesses partidos pode ser letal!

CR


terça-feira, 11 de agosto de 2015

UM TEXTO CORAJOSO E EXEMPLAR

O investimento chinês em Portugal…. Fraude
Agostinho Lopes
Não é investimento, mas compra de investimentos já realizados, nada acrescentando em emprego, VAB, inovação, mas podendo acrescentar muito em desemprego, desinvestimento, custos para a segurança social, transferência de centros de decisão, de competência, etc.
E tanto vale ser chinês ou francês, angolano ou brasileiro...

Mesmo "engolindo" a fraude de que é investimento, trata-se da compra de empresas estratégicas, cruciais para o desempenho das incumbências constitucionais do Estado português.

 Não é aceitável que novas redes de transporte de energia, uma barragem ou um novo aeroporto, fixação de tarifas ou preços de bens e serviços essenciais, estejam condicionadas por lógicas (maximização dos dividendos, rápida recuperação do capital aplicado) que não a do interesse nacional.

Com um pormenor, o risco é sempre do Estado. Em caso de desastre financeiro, será quem vai aguentar prejuízos e garantir esses bens ou serviços. Ou alguém acredita que a EDP, a REN, a ANA, etc, podem falir....e encerrar!


os números da realidade



domingo, 9 de agosto de 2015

digno do melhor humor dos Monty Python...

Candidato presidencial distribui panfletos... sobre colchões

 O advogado Castanheira Barros, 63 anos, candidato às presidenciais, andou a distribuir por engano pelo país "mais de 40 mil" panfletos sobre colchões e almofadas, já que achava que estava a entregar material relativo à sua campanha eleitoral.
“Pela primeira vez desde que iniciei em Julho de 2014 a divulgação do meu projecto de candidatura a Presidente da República Portuguesa, enganei-me na distribuição de panfletos ( depois de já ter distribuído mais de 40.000 ) e em vez de distribuir o que diz respeito a tal projecto passei subitamente a entregar, sem me aperceber de tal facto, prospectos com a mesma dimensão relacionados com um actividade empresarial que também desenvolvo e que têm por título «Viva com mais saúde, use Photon Platina», continuando porém a dizer às pessoas que se tratava de um projecto de candidatura à Presidência da República..”

Sejam 40.000 os panfletos distribuídos ou apenas 10 como diz o presunto candidato, originário da área do PSD, o caricato episódio em que se promove um sono reparador, pensando estar a propor uma magistratura de influência é digno do melhor humor dos Monty Python...

CR

COMO NO CINEMA

Soares visitou Salgado no seu domicílio. Soares já tinha visitado Sócrates na prisão em Évora. Soares já tinha visitado Craxi no exilio da Tunisia. Soares já tinha visitado Isaltino em Oeiras. O filho João já tinha visitado Savimbi na Jamba. O sucialismo soarista virou voluntariado penitenciário. Cheio de humanismo cristão, solidariedade fraternal, identificação de carácter, denúncia de privação de liberdade. 
A anterior defesa das liberdades transmutou-se na defesa da liberdade dos amigos, dos poderosos, dos compagnons de route, dos trafulhas, dos videirinhos, dos oportunistas...Soares desempenha, por distração certamente, o papel de Marlon Brando no O Padrinho.

CR

sábado, 8 de agosto de 2015

Wenceslau - sugestão de leitura


Wenceslau é um pequeno conto publicado por Artur Portela em 1987 no livro Três Lágrimas Paralelas. Esse livro entrou na famosa colecção Caminho Ficção Científica, que divulgou alguns dos melhores autores nacionais e estrangeiros do género e criou uma nova geração de leitores.  

Mas quem era a personagem Wenceslau, que dá o título ao conto? Venceslau era um funcionário de uma empresa sediada numa Lisboa “asiática”, dominada por japoneses, sua cultura empresarial, sua hegemonia, seus perfis psicológicos. Artur Portela antecipou assim um mundo futuro em que os japoneses se imporiam e em que alguns, significativamente chamados de Miguel de Vasconcelos, os serviam com abnegação.

Não se pode dizer que a aparente premonição de Portela (a existir) tivesse sido confirmada. O Japão não teve um destino imperialista extra-territorial  (ao contrário de outros). Possivelmente o exercício literário fosse simplesmente um gesto criativo de uma mente brilhante. Mas o presente identifica igualmente traços de uma realidade opressiva. Os seus agentes são outros.


CR

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Calvin Harris - Summer

DELIBERADA…MENTE - «PLURALISMO»


No mês de Julho o Conselho Superior da Antena 1 foi de férias e não volta. O único espaço nos diversos órgãos de comunicação social plural (as forças com representação parlamentar tinham cada uma, um dia da semana, uma participação com a mesmo duração) acabou. Vejamos o que sobra.
Público – Correia de Campos (PS), Paulo Rangel (PSD), Francisco Assis (PS), Rui Tavares (Livre/TA), José Vítor Malheiros (Livre/TA), Pacheco Pereira (ex-deputado do PSD). Blog «Tudo menos economia» – Bagão Félix (ex-ministro do CDS) e Francisco Louçã (BE).
Diário de Notícias – com espaços fixos e/ou regulares – Mário Soares (PS); Adriano Moreira (CDS) e Viriato Soromenho Marques (Livre/TA).
Expresso – (versão impressa) fixo – Daniel Oliveira (Livre/TA); regular – Pedro Adão e Silva (ex-membro do Secretariado Nacional do PS, apresentado como comentador, também com espaço fixo no Bloco Central da TSF); suplemento de economia Manuela Ferreira Leite (PSD).
Correio da Manhã e CMTV – Joana Amaral Dias (AGiR), Correia de Campos (PS), Moita Flores (PSD), Rui Pereira (PS), Rui Moreira (Presidente da CM Porto), Santana Lopes (PSD), Paulo Morais (ex-vice-presidente da CM Porto de Rui Rio e candidato a Belém), Almeida Henriques (PSD), Marinho Pinto (ex-MPT, PDR), Francisco José Viegas (ex-Secretário de Estado do actual governo).
Diário Económico – Pedro Silva Pereira (PS), Nuno Melo (CDS).
Visão – Marques Mendes (PSD), Luís Amado (PS) e Boaventura de Sousa de Santos (Livre/TA).
JN – no espaço «Café da Manhã» com Mariana Mortágua (BE), Nuno Melo e Teixeira dos Santos (PS), e «Ao Domingo» com Elisa Ferreira (PS) ou Paulo Rangel. É justo assinalar que na rubrica «Opinião» o PCP tem presença semanal, tal como os demais partidos, que somam às presenças mencionadas.
SIC – Marques Mendes (PSD); SIC Notícias – Bagão Félix; Francisco Louçã; Santana Lopes; António Vitorino; Quadratura do Círculo – Pacheco Pereira, Lobo Xavier (CDS), Jorge Coelho (PS); Eixo do Mal – Daniel Oliveira;
TVI – Marcelo Rebelo de Sousa (PSD); TVI 24 – Medina Carreira (ex-ministro do PS); Augusto Santos Silva entretanto substituído por Fernando Medina (ambos do PS); Manuela Ferreira Leite; programa Prova dos 9 – Paulo Rangel, Francisco Assis, Fernando Rosas (BE).
RTP Informação – até à pausa de Verão no programa 3 Pontos – Carlos César (PS); Marco António Costa (PSD); Rui Moreira (Presidente da CM Porto); Carvalho da Silva; Nuno Melo.
Também na categoria de comentador/politólogo temos André Freire (faz TV e jornais e é candidato do Livre/TA) e Paulo Trigo Pereira (candidato do PS).
Tudo isto sem falar dos Camilos Lourenços e Henriques Raposos que pululam entre jornais e televisões comentando economia, política, futebol (! – e os comentadores de futebol com cartão de partido seriam matéria suficiente para outro artigo), e até já fazendo receitas culinárias poupadas nos programas da manhã. Camilos Lourenços que, mesmo sem se conhecer cartão partidário, têm o seu lugar claro na luta de classes, ao lado da direita mais retrógrada e bafienta, ao lado do anti-comunismo mais primário.
Em diversas ocasiões Provedores, entidade reguladora, embora reconhecendo alguma subrepresentação do PCP argumentam que o pluralismo é aferido ao longo do tempo e não numa ocasião ou espaço específico. Órgãos de comunicação social, em resposta a protestos, refugiam-se neste mesmo argumento ou nos seus «critérios editoriais». Mas a listagem (não exaustiva) enunciada desmonta tais argumentos. É também neste quadro que a próxima batalha eleitoral se vai travar, em que cada militante, cada democrata terá que ser nas empresas, nos bairros, nos serviços públicos, o espaço de opinião e esclarecimento que televisões e jornais não mostram.
Fonte: jornal Avante!

humor


óh, meus amigos. Não havia "nexessidade"! O "striptease" gráfico do PS envergonha o preso 44 de Évora.

CR

Nova polémica com os cartazes de campanha do Partido Socialista às eleições legislativas.
Segundo avança o Observador, um dos rostos das histórias sobre desemprego que surgem nos mais recentes cartazes do PS pertence a uma jovem mulher que não só não estava desempregada como não deu autorização para que o seu retrato fosse utilizado em materiais de campanha.
Agora, Maria João Pinto, antiga colaboradora da junta de freguesia de Arroios, Lisboa (liderada pelo PS), exige que o partido retire os cartazes e admite processar os socialistas.
“Eu não estou desempregada desde 2012. Não me podem envolver desta maneira. Aqueles dados são mentira”, diz ao jornal online. “Estou revoltadíssima”, acrescenta.
Os outros dois rostos da série de cartazes, afirma o jornal, também colaboram com a Junta de Arroios.
Ao site, o PS diz que as pessoas “aceitaram figurar nos cartazes” e admite que os testemunhos de desemprego não são reais, mas sim “representações”.

terça-feira, 4 de agosto de 2015

humor


ora bolas! já todos ansiavamos pelo "striptease" gráfico do PS". ATRÁS DO SOL RADIOSO, O QUE VIRIA?

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

As consistentes promessas da nossa direita politica (III)

«Reiterar o compromisso com a execução da Estratégia Nacional para o Mar,  na diversidade dos seus vários domínios, nomeadamente da valorização da pesca à promoção da aquacultura, da liderança na biotecnologia azul ou nas  energias renováveis oceânicas à possibilidade de todos os alunos do  ensino obrigatório obterem progressivamente a carta de  
marinheiro» 
Programa da Coligação PSD /CDS / Cavaco


Só falta promover um qualquer cheque-praia que permita a cada português uma ida á praia por ano... com um baldinho e uma espreguiçadeira...

CR