um blogue pessoal com razões e emoções á esquerda

UM BLOGUE PESSOAL COM RAZÕES E EMOÇÕES À ESQUERDA

domingo, 31 de agosto de 2014

humor

...o PSD vai ter um canal próprio de TV. A equipa técnica, que está ainda em debate, deverá incluir:

Director Financeiro: Oliveira Costa

Provedor de Ética : Miguel Relvas

Telejornais conduzidos por Manuela Moura Guedes

Talk Shows
Segunda Feira: CSI Oeiras, com Isaltino Morais
Terça Feira: Portugal dos Pequeninos, com Luis Marques Mendes
Quarta Feira: Moda e Elegância, com Carlos Abreu Amorim
Quinta Feira; Macho Latino, com Paulo portas e Pedro Mota Soares
Sexta Feira: Ética nos Negócios, com Dias Loureiro
Sábado e Domingo haverá dois concursos de Cultura: De onde sopra o vento?, com Marcelo Rebelo de Sousa e Quem matou a velha?, com Duarte Lima

As manhãs da semana serão abrilhantados com um programa de culinária : Os meus Aventais (alusão , natural, ao movimento maçônico), com Luis Montenegro.

Diversos debates com os principais lideres da oposição deste governo: Manuela Ferreira Leite, José Pacheco Pereira e Rui Rio.

Quinzenalmente Alberto João Jardim animará um debate de Alcoólicos Anônimos

(retirado de Tiradas Literatas (V) de Manuel Maia em Gazeta de Paços de Ferreira)

DESEMPREGO REAL ATINGE 1,2 MILHÕES

O número de trabalhadores impedidos de participar total ou parcialmente na produção do País é superior a um milhão e 260 mil pessoas. além das 729 mil pessoas consideradas pelo INE como desempregadas, há ainda 257 mil inactivos que não procuram emprego (os desencorajados) e 252 mil subempregados qur trabalham menos tempo do que desejariam. A estes há que juntar ainda 28 mil inactivos à procura de emprego mas não imediatamente disponíveis.

A alegada diminuição da taxa oficial de desemprego no segundo trimestre, para 13,9 por cento, anunciada pelo INE, no dia 5, está assim longe de reflectir a realidade, tanto mais que , ao mesmo tempo, os dados indicam uma diminuição da população activa em 0,9 por ceno (menos 47,4 mil pessoas) em relação ao mesmo periodo de 2013.

(em Avante)

sábado, 30 de agosto de 2014

as evidências da NATO: uma prova irrefutável



Uma nova prova dos Estados Unidos, que vai ser apresentada nas discussões da NATO na próxima reunião. Sim, o comboio humanitário era mesmo uma invasão. José Estaline estava mesmo no comboio humanitário para preparar o assalto do exército vermelho a Kiev. 

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

nota de imprensa

Paredes presente em força na 38ª edição da Festa do Avante!

A 38ª edição da Festa do Avante! que se realiza nos dias 5, 6 e 7 de Setembro será um momento alto na luta de resistência á política de direita, de afirmação do projecto comunista e da determinação de todos aqueles que lutam pelos valores de Abril no futuro de Portugal.

A Festa do Avante! é erguida com centenas de milhares de horas de trabalho  voluntário, fruto da militância de milhares de homens, mulheres e jovens que se entregam com dedicação às múltiplas tarefas necessárias, desde a sua divulgação, à sua construção, à preparação de conteúdos gastronómicos, culturais, desportivos e artísticos, até à garantia de todos aspectos do seu funcionamento.

A presença na Festa do Avante! de todas as organizações regionais do PCP, de norte a sul, regiões autónomas e emigração, é o retrato de Portugal, das suas realidades regionais, do seu artesanato e gastronomia, mas também do Portugal que trabalha e luta, uma amostra da intensa actividade que o PCP desenvolve.

Além da tradicional presença da gastronomia, cultura e artesanato da região, este ano o espaço da Organização Regional do Porto tem como tema da sua decoração “ Os Valores de Abril no Futuro de Portugal” dando expressam às conquistas da Revolução de Abril e à actualidade e pertinência da luta pela construção de uma Democracia  simultaneamente política, económica, social e cultural.

Estará ainda patente no espaço do Porto uma exposição sobre a 11.ª Assembleia de Organização Regional do Porto do PCP, agendada para o dia 6 de Dezembro de 2014, no Instituto Superior de Engenharia do Porto.

A Organização Concelhia de Paredes do PCP estará presente na Festa do Avante! com um stand envolvendo dezenas de membros e amigos do Partido, divulgando as lutas e as tradições do concelho.


A EP – Entrada Permanente na Festa do Avante! Comprada antes de 5 de Setembro tem o custo de apenas 21 euros. A Organização Concelhia de Paredes do PCP promove uma excursão com saída na Sexta-feira dia 5 e regresso no domingo dia 7, viagem e EP. Contacto António Gonçalves 911942970. 

Para conhecer melhor o programa da edição deste ano da Festa do Avante! recomenda-se a consulta do sítio da internet www.festadoavante.pcp.pt

Luta contra encerramento da escola de Parada de Todeia vai continuar

O presidente da Junta de Freguesia de Parada de Todeia, concelho de Paredes, criticou o Governo por "insistir" em encerrar a única escola básica da freguesia, prometendo continuar a lutar contra a decisão.






foto PEDRO GRANADEIRO / GLOBAL IMAGENS
Protesto contra o encerramento da escola em frente à DREN, no Porto

"A Junta tudo vai fazer para que a luta não termine até ao início do ano escolar. Gostaria de vos dar uma boa notícia, mas parece que o Governo continua surdo e não olha para as crianças mas apenas para os custos", afirmou Agostinho Pinto depois de reunir com responsáveis da Direção Regional da Educação do Norte (DREN), a quem entregou uma resolução em defesa da manutenção da escola básica local.

Mais de uma centena de habitantes daquela freguesia deslocou-se ao Porto para protestar, em frente à DREN, contra o encerramento do estabelecimento escolar, que conta com 70 alunos.

Segundo o autarca, "custos e cartas educativas" foram os argumentos apresentados pela DREN para justificar a decisão de fechar a escola.

"Não vou daqui totalmente convicto de que [a escola] não encerre (...). Temos que lutar para levar por diante a nossa escola", afirmou Agostinho Pinto à população de Parada, que esperou cerca de uma hora no local pelo final da reunião na DREN.

O autarca adiantou que vai agora solicitar uma reunião com caráter de urgência ao presidente da Câmara de Paredes, no sentido de tentar ainda travar o fecho da escola, admitindo a possibilidade de interpor uma providência cautelar.

"Ainda vamos a tempo", disse, acrescentando que a escola básica tem melhores condições do que o Centro Escolar de Cete, para onde deverão ser transferidos os alunos de Parada de Todeia.

A escola da freguesia tem salas para cada um dos quatro anos do primeiro ciclo, enquanto em Cete terá que haver turmas mistas, frisou o autarca.

Agostinho Pinto salientou ainda que a escola dispõe de um refeitório capaz de fornecer cem refeições em simultâneo, de um polidesportivo e de aquecimento central.

César Moreira, membro da Associação de Pais da escola da freguesia, lembrou que recentemente foram feitas obras na estrutura para melhorar as suas condições, não percebendo o porquê de a fechar este ano letivo que arrancará em meados de setembro.
"As condições da escola de Cete não são melhores do que as desta, antes pelo contrário", sublinhou o encarregado de educação.

Nesta luta contra o encerramento do estabelecimento de ensino, Parada de Todeia não quer "ser tratada como exceção, apenas quer ser tratada com dignidade", concluiu.

em JN

domingo, 24 de agosto de 2014

identificado o jihadista criminoso!

 Foi identificado o jhadista britânico que matou o jornalista James Foley. Chama-se Abdel-Majed Badel Bary. Tem 23 anos e abandonou Londres em 2013, passando para a Síria através da fronteira turca.  Durante algum termpo foi rapper em Inglaterra. Conhecido nos meios islâmicos como o Jihadi John, gabou-se em redes sociais de com os raptos e com os reféns ter feito grande fortuna. Pretenderia sair para o Kwait ou para o Qatar. O pai natural do Egipto é um radical islâmico que aguarda julgamento em Nova York por participação em atentados em Nairobi. Os ingleses, tão relapsos, em identificar estes terroristas, mostram agora preocupação.
A justiça internacional deverá exercer-se. Implacavelmente.

Abdel-Majed Badel Bary

fotografia


  Catarina Pereira - Bancos Novos (Festa do Avante de 2014)

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Linda Perhacs - Hey, Who Really Cares? Chimacum Rain



Duas pérolas de 1970

a cuspidela da serpente

O Ministro dos Negócios Estrangeiros Alemão lamentou a “ofensa” causada ao Qatar por declarações do Ministro do Desenvolvimento Alemão ligando o financiamento dos jihadistas da Síria e do Iraque a esse país do Golfo Pérsico.  Segundo o Ministro dos Negócios Estrangeiros tal referência aludia a “notícias de imprensa” e não era uma “alegação concreta”.

Já o secretário dos Negócios Estrangeiros do Governo Britânico recusa colaborar com o Governo Sírio para combater o Estado Islâmico, respondendo assim a apelos sérios de responsáveis britânicos de segurança e defesa nesse sentido

Hollande, por ser vez, confessou ter entregue armas aos rebeldes na Síria mas lá foi distinguindo uma “oposição democática” digna desse "esforço de guerra” . Cito "A França tomou esta decisão porque “não podia deixar sem armas os sírios que edificavam a democracia”.
Como bom escroque mentiroso, Fabius, o MNE, inventou o argumento de que os ISIS seriam ex-presidiários libertados por Assad, treinados sabe-se lá porquê, financiados sabe-se lá por quem. Cito: “O Estado Islâmico surgiu inicialmente na Síria e foi o presidente do país Bashar Assad quem contribuiu para isso, pondo em liberdade os presos que cumpriam penas nas prisões."
Pensamento criminoso de um e outro: tivesse havido intervenção directa da Aviação da NATO na Síria e tudo seria diferente

A estratégia desta gentalha: convém actuar contra o jihadismo no Iraque (petróleo) e nada fazer para o combater na Síria.  

A podridão moral consegue suplantar a estupidez política.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

a família Espirito Santo, donativos e a campanha presidencial de 2006

Os donativos confiados por Ricardo Salgado e vários administradores do Banco Espírito Santo à campanha de Cavaco Silva para as presidenciais ultrapassaram os 152 mil euros, o que representa sete por cento do financiamento total obtido. Segundo a edição desta quinta-feira do Diário de Notícias , que consultou no Tribunal Constitucional as contas da campanha de 2006, o antigo número um do BES doou a quantia máxima então permitida por lei: 22.482 euros.

Além de Ricardo Salgado, outros quatro administradores do Grupo Espírito Santo, entre os quais António Ricciardi (ex-presidente do BES), José Manuel (ex-administrador) e Manuel Espírito Santo (ex-presidente da Rioforte), optaram pelo donativo máximo na campanha que levou Cavaco Silva a Belém pela primeira vez. Já José Maria Ricciardi (presidente do BESI) doou 15 mil euros. 

A estes valores juntam-se os donativos máximos doados por Rui Duarte Silveira (ex-presidente da Assembleia-Geral da ESAF), José Manuel Ferreira Neto (ex-presidente do Banco Internacional de Crédito SA, participada a 100 por cento pelo BES) e do já falecido acionista histórico do GES, Mário Mosqueira. “Além de serem homens-fortes do universo BES, os cheques deste três destacados membros chegaram à campanha no mesmo dia dos de Ricciardi e Ricardo Salgado, 21 de novembro de 2005”, sublinha o Diário de Notícias

Recorde-se que em janeiro de 2004 o jornal Expresso noticiava que Cavaco Silva tinha sido o convidado de um jantar em casa de Ricardo Salgado - no qual estiveram também presentes Durão Barroso e Marcelo Rebelo de Sousa -, onde o banqueiro terá pressionado o atual Presidente da República a candidatar-se a Belém nas eleições que decorreriam em 2006. 

No entanto, o BES não foi a única instituição bancária a doar verbas à campanha eleitoral de Cavaco Silva. João Rendeiro (então líder do BPP) também doou o valor máximo permitido por lei (22.482 euros), Horácio Roque (à data líder do BANIF) ofereceu 20 mil euros à campanha de Cavaco Silva e Paulo Teixeira Pinto (então presidente do BCP) doou cinco mil euros. 

Soares não recebeu donativos dos Espírito Santo

Cavaco Silva não foi o único candidato a receber apoios à sua candidatura por parte da banca e outros banqueiros optaram por dividir os seus donativos por dois candidatos, apoiando Cavaco Silva e Mário Soares. 

Um deles foi Jardim Gonçalves (antigo homem-forte do BCP), que dividiu o valor de 20 mil euros pelos dois candidatos. José Oliveira e Costa (ex-presidente do BPN) doou 15 mil euros para a campanha de Cavaco Silva e 2.500 euros para a campanha de Mário Soares. Já Abdul Vakil (ex-presidente do BPN) doou 5.000 euros a Cavaco Silva e 2.500 à campanha de Mário Soares.

As campanhas de Manuel Alegre, Francisco Louçã, Jerónimo de Sousa e Garcia Pereira não receberam qualquer donativo da banca.

Empresários também apoiaram campanhas

Além do apoio da banca, os candidatos às presidenciais também contaram com o apoio de grandes empresários do país. Segundo o Diário de Notícias, “nas contas presidenciais de 2006 – as de 2011 ainda aguardam publicação do acórdão – é ainda de registar os donativos feitos por José Guilherme (cuja prenda de 14 milhões de euros a Ricardo Salgado levou à detenção do antigo presidente do BES no processo Monte Branco). O construtor da Amadora e a família fizeram donativos a Cavaco Silva de 55 mil euros na campanha de 2006”.

“Em 2006, José Guilherme doou 20 mil euros para a campanha de Cavaco Silva, nem cheque que chegou à campanha no dia 9 de janeiro de 2006, o mesmo em que sua mulher (Beatriz Conceição Veríssimo) doou igualmente 20 mil euros. Passados 11 dias foi a vez do filho de José Guilherme, Paulo Guilherme, doar 15 mil euros”, acrescenta o jornal. 

Recorde-se que Paulo Guilherme é um dos acionistas de referência da Caixa Económica Montepio Geral que tem estado a ser alvo de uma auditoria forense a pedido do Banco de Portugal para apurar o nível de exposição que o banco tem ao Grupo Espírito Santo.


Além de José Guilherme, outros empresários de vários ramos apoiaram a corrida de Cavaco Silva a Belém em 2006, a mais financiada por empresários, entre os quais: Américo Amorim (Grupo Amorim), João Pereira Coutinho (SAG), Dionísio Pestana (Grupo Pestana), António Mota (Mota-Engil), Manuel Fino (SDC Investimentos), Manuel Violas (Solverde) e Nuno Vasconcelos (Ongoiong). 

Soares angariou 693 mil euros

A campanha de Mário Soares, que conseguiu angariar 693 mil euros em donativos pecuniários, contou com o apoio dos empresários: Francisco Murteira Nabo (presidente não executivo da Galp), que doou dez mil euros, Jorge Armindo (presidente do Grupo Amorim Turismo), que ofereceu dez mil euros, e do empresário macaense Stanley Ho, que doou 20 mil euros (o mesmo valor que ofereceu à campanha de Cavaco Silva), entre outros.

De salientar que dois empresários doaram à campanha de Mário Soares o valor máximo permitido por lei (22.482 euros), Rui Nabeiro (administrador da Delta) e o empresário Ilídio Pinho. 

Os outros candidatos a Belém na campanha eleitoral de 2006 também receberam apoio. Manuel Alegre, que se apresentou como candidato independente, recebeu 236 mil euros em donativos. Jerónimo de Sousa, apoiado pelo PCP, conseguiu angariar 18.575 euros. 


Já o candidato apoiado pelo Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, recebeu 9.979 euros em donativos e Garcia Pereira, apoiado pelo MRPP, chegou a um valor angariado de 22.489 euros. 

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

AFINAL PORQUE EXISTES?

Obama ficou justamente incomodado com a imagem vídeo da decapitação do jornalista James Foley.  Tenho pena de ele não ter visto outros vídeos como eu vi. Certamente manteria e reforçaria a mesma indignação. 

Relembro alguns vídeos recentes, outros mais antigos: a morte de mulheres e crianças em Gaza em 2014, a sodomização de Khadafi em 2011, o enforcamento de Saddam  Hussein em 2006, o fuzilamento de Nicolau e Elena Ceausescu em 1989.  

E para reforçar a indignação de Obama relembro-lhe a participação nesses actos violentos e fúteis dos amigos, protegidos e subfinanciados da Administração Americana. Mas há muitos vídeos de “combatentes da liberdade” fuzilando, decapitando e violando prisioneiros de guerra, minorias étnicas e religiosas.

E para reforçar a indignação de Obama, relembro-lhe que alguns dos autores confessos destes actos cruéis são cidadãos americanos, ingleses, franceses, alemães, formados em escolas dos mesmos países, produto da cultura da intolerância ministrada em meios de comunicação e em mesquitas com abertura ao público.

E para ainda indignar mais o líder da potência hegemónica mundial, relembro-lhe que o seu aparelho de estado, as suas inúmeras polícias, a sua pseudo superioridade moral, as suas infindáveis capacidades de fazer a guerra e promover a paz por todo o mundo, manifestaram-se completamente ineficazes para salvar a vida de inocentes.

Com tanta indignação, Obama, porque existes?


CR

terça-feira, 19 de agosto de 2014

O PANO E A NÓDOA

O Bastonário da Ordem dos Médicos é uma pessoa julgada sensata, com provas recentes de interesse e qualidade na defesa do Serviço Nacional de Saúde e dos profissionais envolvidos. Mas costuma dizer-se que no melhor pano cai a nódoa e José Manuel Silva agora o comprovou.

As declarações sobre os médicos cubanos em Portugal reflectem um preconceito de quem utiliza os chamados “argumentos demagógicos” para defender propostas justas.  O Bastonário invoca uma discriminação que não resulta senão de um acordo entre Estados soberanos. Se acha que os interesses portugueses não são respeitados, é com o Ministro e com o Governo que se deveria indignar. Se considera e bem que o Estado Português deve remunerar melhor os seus médicos, muito bem.

Quando refere que “os médicos cubanos ganham mais de 4 mil euros por mês e o Estado ainda lhes oferece alojamento, paga o gás, água e electricidade” José Manuel Silva não está nada longe do Título asqueroso de um Jornal - “Salário milionário para 76 Médicos de Família”. E qual é o tal salário milionário? 10 mil euros para Assistentes Graduados Seniores, com suplementos devido a actividades de direcção, formação inter-pares,  lista de utentes ampla, horários alargados, consultas no domicílio, indicadores de produtividade!

José Manuel Silva, na mesma onda, fica incomodado com 12 milhões de euros pagos a médicos cubanos em 6 anos de actividade no SNS. Não podendo certamente agora gritar “Vêm aí os cubanos!”, o Bastonário saca do argumento da “não especialização” dos privilegiados cubanos e das “barreiras linguísticas e culturais” o que se percebe não passa de um “corporativismo paroquial”, atentas as históricas presenças de profissionais portugueses de todas as áreas em contextos mundiais de culturas e línguas heterogêneas.

Onde José Manuel Silva se “espalha” literalmente é ao considerar que há uma opção política de financiar o sistema de saúde cubano. Quando os utentes da cirurgia das cataratas ou dos tratamentos de MFR afloram á ilha de Fidel, ou as populações rurais do Ribatejo ou Alentejo recebem por necessidade os serviços dos “funcionários” de Cuba, talvez não tenham interiorizado este “bastonário” raciocínio.

A resposta da Senhora Embaixadora Cubana é exemplar. OS INIMIGOS DO SNS NÃO ESTÃO EM CUBA, NEM FALAM CASTELHANO DE AQUÉM OU ALÉM ATLÂNTICO.


CR

informação de uma luta justa


No dia 14 de Agosto de 2014, por convocação da Junta de Freguesia de Parada de Todeia, reuniu-se a população, nomeadamente muitos pais e encarregados de educação dos alunos inscritos para frequentar o ensino pré-primário e 1º, 2º,3.º e 4. Anos de escolaridade.  O assunto  era relativo ao impasse criado pela tentativa de encerramento da Escola da Lage em Parada de Todeia e transferência para o Centro Escolar de Cete. 

O salão de festas da Junta de Freguesia encheu para ouvir da parte do Executivo da Junta as informações devidas ao processo, como o envolvimento da Câmara de Paredes e troca de correspondência com Ministério da Educação e Ciência e Direcção Regional da Educação do Norte.

A Escola Primária de Parada de Todeia reúne todas as condições exigidas pelo Ministério. No ano lectivo de 2013/2014 funcionou com 78 alunos em 4 turmas em 4 salas de aula. Não tem turmas mistas, ou seja, mais do que um nível em cada sala de aula. Está bem localizada, com excelentes acessibilidades e até tem uma rua fidelizada. Recentemente foram feitos grandes investimentos. Tem mobiliário adequado e aquecimento central. Os recreios são cobertos, tem salas de conforto e biblioteca. Tem um refeitório que pode servir refeições a 100 crianças em simultâneo. Tem um polidesportivo com medidas oficiais com relvado sintético adequado a várias modalidades. Tem 4 balneários com água quente e um espaço de cerca de 1500 m2 completamente vedado onde as crianças podem exercitar aprendizagens ligadas a várias áreas temáticas.  

O que falta? Nada.

Em Parada de Todeia todas as crianças têm transporte assegurado pela Junta de Freguesia, da escola para casa e de casa para a escola, todos os dias, todo o ano lectivo.

O que falta?

Só espíritos cegos, loucos e dogmáticos ousam fechar a Escola. A população reunida apoiou a decisão da Junta de Freguesia e Assembleia de Freguesia de lutarem contra o encerramento. Aprovou por unanimidade dos presentes uma RESOLUÇÃO PELA MANUTENÇÃO. E manifestou a vontade de se concentrar junto á DREN no dia 27 de Agosto.
Na mesa da Reunião esteve presente Agostinho Pinto (Presidente da Junta), Sérgio Cunha (do Executivo da Junta) e Álvaro Pinto e Cristiano Ribeiro, eleitos da CDU na Assembleia Municipal de Paredes.


CR

FOI VOCÊ QUE PEDIU?

 João Frazão

Há muitos anos havia uma marca de Vinho do Porto que tinha como slogan a expressão que dá título a esta crónica, e de que eu me lembro recorrentemente a propósito de um certo resultado saído das últimas eleições do Parlamento Europeu.
E veio-me novamente à cabeça, com a novidade anunciada esta semana de que a estrela cintilante desse mesmo resultado, que prometia revolucionar toda a forma de fazer política, que até escolheu o partido pelo qual se candidatava, afinal já não lhe apetece ser eurodeputado, apenas meia dúzia de dias depois de ter tomado posse.

O resultado de Marinho e Pinto nas eleições para o PE foi construído, como na altura o PCP afirmou, pela sua prolongada exposição mediática, na base de um discurso demagógico e assente no mais desbragado populismo, incluindo contra a política e os políticos. Com aquele jeito de quem não se cala, voz grossa e tonitruante, com meia dúzia de episódios a roçar o burlesco, MP apresentou-se com a mascarilha de justiceiro, a cavar fundo na desesperança e no desalento que o capital e os governos ao seu serviço vão instigando e de que precisam para prosseguirem a sua política antissocial e antipopular.
Milhares de homens e mulheres esperariam assim, ter agora a voz de MP no Parlamento Europeu, seguramente na expectativa de que isso garantisse a expressão pública das suas legítimas preocupações.

Passados esta meia dúzia de dias, e depois do episódio da família política em que o tal partido acabou por se inserir – o MPT, dito ecologista, vai integrar-se no Grupo dos Liberais – Marinho Pinto anunciou que se virá embora. Pelo meio fica a sua declaração (ele que se afirmava contra a carreira na política) de que não poderá prescindir do salariozinho, ainda que diga que lhe parece excessivo, porque é, imagine-se, pobre.
Sublinhe-se que não se põe em causa o método de eleição por lista, em que fica ao Partido concorrente, verdadeiro detentor dos mandatos, a responsabilidade de gerir a sua participação.

Mas neste caso MP e o MPT assentaram toda a sua campanha na fulanização da eleição do cabeça de lista, num compromisso pessoal que, agora, ainda antes da primeira curva, rasgam, sem qualquer vergonha.
E é por isso que me lembra sempre de perguntar, foi você que pediu um Marinho Pinto no PE?

(em Avante)

ou outra variação sobre tão lamentável tema...em sempunhosderenda.blogspot.pt
 
 
234.788 eleitores gostavam de ter ouvido isto antes de votarem
 
 

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Joe Jackson - Steppin Out


uma pipa de massa

Durão Barroso e seu filho

Luis foi contratado sem concurso para o Departamento de Supervisão Prudencial. A regra no banco é contratar por concurso salvo situações de "comprovada e reconhecida competência profissional". Ele iniciou funções há cerca de um mês depois de 2 estágios de Verão. Tanta competência, meu Deus... obtida pela genética! O pai andou pelo MRPP, o filho alinha no MCBP (Movimento das Cunhas do Banco de Portugal)

domingo, 17 de agosto de 2014

pequena aldeia

O arquiteto Manuel Salgado, vereador da CML, com o pelouro do Urbanismo, eleito pelo PS, autorizou a demolição do quartel de bombeiros mais moderno de Lisboa, que fica paredes meias com o Hospital da Luz (BES), pois este pretende expandir a sua área de construção...
Agora aqui vai o melhor, que são meras coincidências:
1º. O arquiteto Manuel Salgado é autor do projecto de expansão do Hospital da Luz!
. O arquiteto Manuel Salgado é primo direito do Ricardo Espírito Santo Salgado!

Este mundo é realmente uma pequena aldeia, não acham?!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

O DEDO SUJO DO FALCÃO



O senador norte americano John McCain tem um indiscutível currículo e franca notoriedade de falcão.

Em 2011 visitou Benghazi na Líbia. O seu apoio aos rebeldes líbios foi um sinal da participação directa do imperialismo norte-americano no derrube de Kadhafi. E hoje a Líbia é uma nação destruída, corroída pela anarquia e a violência.

Em Maio de 2013 o senador do Arizona fez uma incursão da Turquia para o norte da Síria. Objectivo: apoiar os rebeldes sírios contra o regime de Assad. Deixou-se fotografar em 31 de Maio de 2013 com os seus financiados. Nas fotografias McCain dialoga com um homem vestido de negro, barba escanhoada, mão direita no joelho, que não é outro senão o famoso Abou Bakr Al-Baghdadi, o autoproclamado Califa do Estado Islãmico, depois da queda de Mossoul.  Então até disse: “os rebeldes sírios não são extremistas, conheço-os pessoalmente”. O presente é irónico para tais informações. Alguns dos conhecidos de Mccain andam a crucificar presos, a enterrar vivos mulheres e crianças, a decapitar quem se opõe.  

McCain não age por conta própria. É instrumento da diplomacia dos USA, da facção musculada e violenta dos interesses do imperialismo. Tierry Meyssan chama-lhe o CHEFE DE ORQUESTRA DA "PRIMAVERA ÁRABE" e interlocutor de Ibrahim. A McCain poder-se-ia desejar o destino de algumas das vítimas dos seus idolatrados rebeldes sírios. Mas tal seria  desumano. Quando os americanos e outros ocidentais se sensibilizam com o destino dos Yazidis, deveriam pensar um pouco se os povos não merecerão algo mais do que os poços de petróleo existentes nos espaços onde vivem.


CR 

Nota:
o homem de negro, de barba escanhoada, mão direita no joelho, da fotografia anterior. Ibrahim al-Badri, aliás Abu Du’a, aliás Abou Bakr Al-Baghdadi, aliás Califa Ibrahim, mercenário do príncipe Abdul Rahman al-Faiçal, financiado pela Arábia saudita, pelo Catar e pelos Estados Unidos. Ele pode praticar todos os horrores, que as Convenções de Genebra proíbem os Estados de cometer .

Um cirurgião espanhol dá conta dos massacres de Mossoul. Chama-lhes de "medievais" 

cartoon

Déjà-vu

André Carrilho em DN

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Cranberries - Zombie

ANTON, O DISSIDENTE DO SISTEMA


(em blog francês histoireetsociete.wordpress.com)

O DISSIDENTE COM O DESTINO DE APODRECER NA PRISÃO

Sabendo nós o que define como causa merecedora de petição e de lágrimas para certos «democratas», leitores da imprensa feminina, ecologistas, esquerdistas «caviar» e mesmos comunistas « renovadores», porque se ignora isto?

Porque será que este jovem valente que transporta um nome de familia judeu, (aliás ele mora em Odessa) não beneficia do interesse e consideração que habitualmente se dirige aos defensores de linguas e populações minoritárias e porque esta notícia não interessa a esses muitos? Ah! Se fosse um Tártaro patrocinado pela Fundação Soros como os financiados há muitos anos na Crimeia … o Courrier (ocidental) International, o Monde Diplomatique et também L’Humanité teriam-lhe dedicado um artigo ou mesmo mais… o dissidente só da foto é ignorado pelos jornalistas do sistema de propaganda … 
NOTÍCIA

"Um tribunal de Kiev condenou o dirigente do movimento Alternativa Popular, Anton Davidtchenko, a 5 anos de prisão.

A Justiça considerou como crime a recolha de assinaturas em apoio do estatuto oficial da lingua russa e de um referendo sobre a federalização da Ucrãnia, organizados por Daviddtchenko em Odessa.

Em 17 de Março, o Serviço de Segurança Ucraniano interpelou Davidtchenko em Odessa e conduziu-o para Kiev. Segundo os seus familiares, prometeram-lhe a liberdade em troca de uma cooperação na investigação e do reconhecimento de culpabilidade, mas  Davidchenko considera-se inocente. Ele afirma que exercia os seus direitos civis por meios legais e pacificos."

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

OS FILHOS DO BES


notícias CDU

“Pasta Escolar”

No próximo ano lectivo, a Câmara de Almada vai lançar o Programa “Pasta Escolar”, que consiste na oferta de uma mochila com os manuais escolares adoptados por cada escola e diverso material didáctico. A “Pasta Escolar” será entregue no próximo mês de Setembro a todos os alunos do Concelho de Almada do 1.º ano do 1.º Ciclo do ensino da rede pública. No ano em que se comemoram os 40 anos do 25 de Abril, a autarquia CDU lança este programa com o objectivo de contribuir para a generalização de uma educação universal gratuita e de qualidade, conforme é desígnio da Constituição da Republica Portuguesa.

Experiências memoráveis
“O Boa Viagem”, varino da Câmara da Moita, navega durante o mês de Agosto no Tejo durante 6 dias.

Durante os sábados de Agosto, da parte da tarde, a autarquia CDU dá ainda a conhecer no Sítio das Marinhas – Centro de Interpretação Ambiental, a história do Sal no Concelho da Moita e na região, o seu processo de extração e outras curiosidades sobre a ecologia do estuário, os invertebrados no Tejo, os peixes e as aves. Entrada gratuita.  

texto


Nem uma duvidazinha, João Miguel Tavares?

JMT descobriu, que a solução engendrada para o BES, é não só, um “Novo Banco”, mas uma “nova política”!

Não é parco em elogios! Enxerga no denso nevoeiro, uma “nova politica” que defende o “interesse nacional”, os “contribuintes” e deixa cair “os accionistas”. A gente a pensar que os ditos accionistas têm um papel importante a desempenhar, pois anda o Dr. Paulo Portas, esfalfadinho, por esse mundo de cristo, a pedir, investidores, investidores… e o seu governo inaugura uma “nova política” “onde se deixam cair os accionistas! Pela primeira vez, um governo deixa cair os accionistas. “Ninguém antes o tinha feito”! Então, quando este Governo, como os anteriores, provocaram a falência de dezenas de milhares de empresas, deixaram cair o quê?

E nem sequer uma descriminaçãozita para os pequenos accionistas. Mas é “accionista” a dona Ifigénia, que, das suas poupanças, para fazer a vontade ao gestor de conta, que tinha a bênção da CMVM e BdP, comprou 2 mil ou 5 mil euros de acções?

Depois, “os contribuintes”, que desta vez estão a “salvo”! Será assim? Mesmo quando não é conhecida “a lista de todas as coisas que podem correr mal, ou que simplesmente não estão bem explicadas” pelo BdP e pelo Governo, é possível, afirmar que não daremos, nem mais um cêntimo para este peditório? Mas o nosso dinheirinho já lá vai, num empréstimo do Estado português, a um juro, que pelo menos no caso do FMI é de 3,7%, logo superior ao que vai pagar o Fundo de Resolução. Que terá já uma contribuição de impostos sobre a banca, isto, é dos contribuintes!

Vai ser devolvido todo? Não se sabe! O que se sabe é que o tal Novo Banco, tem passivos elevados e activos duvidosos (80% do BES antigo). Não seria melhor conhecer a “lista” e depois fazer contas? Mas vai ser o sistema financeiro a “assumir a diferença”, a aguentar prejuízos! Tenho dúvidas. Mas há uma certeza: uma percentagem significativa (25/30%?) do possível prejuízo é da CGD, que parece, ainda é do “zé-povinho”! Também o BPN quando começou eram só 800 milhões…

O pior é que os ditos contribuintes, o interesse nacional, já estão a “inchar”, forte e feio. Na exposição da CGD ao BES/GES de 300 (ou serão 540, de acordo com provisionamento feito a mando do BdP) milhões de euros? Quem vai pagar subsídios de desemprego aos trabalhadores do BES/GES que forem empurrados porta fora nas ditas e já anunciadas reestruturações? E as centenas de PME que falirem não serão contribuintes? A transformação da PT num apêndice de uma multinacional brasileira é do interesse nacional? Sem falar do défice orçamental no fim de 2014…

Mas haverá ainda algum santo (não os espíritos!) nesta terra, que depois de tudo o que foi dito, sobre a solidez, a solvabilidade, as almofadas, o “ring-fencing” etc etc do BES, acredite no milagre das rosas?

“A solução encontrada para o caso BES” é, maravilha, o “anti-BPN”! Então o que é feito do GES? Fala-se da SLN, que ficou com o mel, por oposição ao BPN que ficou com a cera (ruim cera para fraco defunto, diga-se). Mas o equivalente da SLN no caso do BES é o GES. Está falido, bem o sabemos. Mas será só prejuízo??? Saberá alguém, alguma coisa da massa falida do Grupo? Do património da família? Do que está sedeado em sociedades offshores em paraísos fiscais? E pequeno esquecimento: se no caso BES, “o que é bom fica na mão dos contribuintes (o Novo Banco)”, é à custa do nosso dinheirinho! Poder-se-ia até fazer um lindo trocadilho: na mão dos contribuintes o que veio dos contribuintes!

Depois há o discurso da justiça sobre os administradores. Certo, mas tudo se resume a uma (“injusta e indecente gestão do BES”, ou a “um buraco de cinco mil milhões de euros” que não “se cavou sozinho”? Isto é, o problema do BES (e já agora do GES), é apenas um problema de “bandidagem”, como perora um nosso ilustre comentador económico. Apenas, um problema de vigaristas com MBA!

Depois do BPN, do BCP, do BPP, do BANIF e agora do BES, teremos, então, que admitir que no dito sector há uma elevadíssima concentração de assaltantes de caneta… E explicar, como na UE de 2008 a 2012 foram gastos 4,5 biliões – 4,5 milhões de milhões - de euros do dinheirinho dos contribuintes para salvar accionistas da banca e poderosos…

 Agostinho Lopes , em Jornal Público

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

UCRANIA 2014 (FOTOGRAFIAS DE ANDREI STENIN)






BALANÇO DE UM PERCURSO ACENTUADO DE DEGRADAÇÃO (II)

(…o SNS á lupa)

A Portaria 82/2014, que pretendia redefinir o mapa das unidades hospitalares do SNS com base em critérios técnicos e geográficos, constitui um documento incongruente e susceptível de inumeráveis críticas.

O desnorte que preside á capacidade de previsão do Ministério chega ao ponto de continuar a abrir concursos para serviços condenadas nesse documento á extinção. Dir-se-á portanto que a portaria devia ser revogada de imediato ou no mínimo ser transformada em documento de trabalho prévio.

A centralização em Saúde (como na Educação) conduz ao afastamento dos utentes, á degradação de serviços, á perda da universalidade de direitos á saúde.

Vejamos a lista dos serviços excluídos e a encerrar na região do Tâmega e Vale do Sousa, de acordo com a Portaria 82/2014:

Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa  
Excluídos: Cirurgia Plástica Reconstruída e Estética
Não Previstos: Endocrinologia e Nutrição, Medicina do Trabalho, Obstetrícia, Pedopsiquiatria e Urologia
Podem ser Excluídos: Cardiologia, Gastrenterologia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Pneumologia

Dados Recolhidos na Revista da Ordem dos Médicos Julho-Agosto de 2014

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Gabriel o Pensador - Surfista Solitário

L’ UNITÁ

O L'Unità, fundado em 1924 como órgão do Partido Comunista Italiano mas que há muito deixara de existir como jornal comunista, «suspendeu definitivamente» a sua publicação. A notícia, que conheceu larga repercussão e teve mesmo chamada de primeira página no «Expresso», não nos pode deixar indiferentes. Se por um lado, e descontando os graves problemas criados aos trabalhadores do jornal, é positivo que um título prestigiado da imprensa operária e comunista deixe de ser utilizado para veicular posições sociais-democratas, por outro lado fica a confirmação de uma derrota e de um vazio que os esforços corajosos dos camaradas italianos ainda não conseguiram preencher.

O verdadeiro L´Unità, comunista, passará à história pelo papel que efectivamente desempenhou ao serviço dos trabalhadores em duríssimos combates de classe contra o fascismo e a grande burguesia italiana. Do outro, daquele cuja trajectória de adaptação ao sistema capitalista agora termina, se não ficarão saudades, ficam-nos importantes lições.

Ainda estamos bem recordados como o L'Unità, acompanhando o processo de degenerescência do PCI, defendia o «eurocomunismo» como «via para o socialismo nos países capitalistas desenvolvidos», numa concepção contraposta à Revolução de Outubro e às experiências históricas do socialismo, dispensando o papel dirigente da classe operária e o partido de vanguarda marxista-leninista, opondo Marx a Lénine para depois o renegar, privilegiando o terreno eleitoral e parlamentar de luta e acordos de cúpula para alcançar um «compromisso histórico» acima da luta de classes. Como recordados estamos do progressiva abandono do objectivo de liquidação dos monopólios (apenas a «limitação do seu poder») e da dissolução da NATO ao mesmo tempo que – abrindo uma profunda brecha naquela que era a posição do movimento comunista – passava a defender uma opção «europeísta», de apoio à CEE/União Europeia e às suas estruturas e políticas federalistas supranacionais considerando «caduco» o marco nacional e a necessidade de fortalecer uma «Europa autónoma» frente aos EUA, argumentos que a prática já derrotou.

No momento em que se anuncia o seu desaparecimento vale a pena reflectir sobre o caminho percorrido pelo L'Unità. As concepções reformistas que a partir dos anos setenta veiculou e que após as derrotas do socialismo se tornaram abertamente liquidacionistas, conduziram, pela mão de dirigentes sem princípios como Ochetto, D'Alema e outros, à dolorosa dissolução do partido fundado por Gramsci e Togliatti. De degrau em degrau no abandono das teses centrais do movimento comunista internacional, de cedência em cedência para se tornar aceitável pelo grande capital, o PCI, aquele que foi um dos mais importantes partidos operários da Europa, com fortes raízes populares e com uma expressão eleitoral que chegou a ultrapassar os 30%, transformou-se sucessivamente em PDS, DS e finalmente no Partido Democrático actual em completa e assumida ruptura com o passado heroico dos comunistas italianos e diluído numa fétida sopa social-democrata que não desdenha incluir entre os seus membros um dos partidos que em Israel está a conduzir o hediondo massacre do povo palestiniano e que apoia o regime golpista-fascista instalado em Kiev.

É triste e doloroso. Mas como a experiência ensina mesmo as mais amargas derrotas das forças do progresso social não conseguem impedir a marcha da História para diante. O movimento operário e os comunistas italianos, herdeiros de honrosas tradições revolucionárias, encontrarão o seu caminho.

(Albano Nunes, em Avante de 7 de Agosto de 2014)