um blogue pessoal com razões e emoções á esquerda

UM BLOGUE PESSOAL COM RAZÕES E EMOÇÕES À ESQUERDA

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

ordem dos médicos, 27 de fevereiro

A reunião de segunda feira dia 27 de fevereiro no auditório da Sessão Regional do Norte da Ordem dos Médicos reuniu cerca de 700 médicos. Discutiu-se essencialmente as Carreiras Médicas, os concursos, a contratualização colectiva, o espectro de desemprego para os mais jovens e as condições da sua formação. Participaram na mesa da reunião os 2 sindicatos médicos, a Ordem dos Médicos e representantes de uma organização denominada Médicos Unidos.

Percebeu-se bem que a recente evolução dos contratos de trabalho (os CONTRATOS INDIVIDUAIS DE TRABALHO), a empresarialização de Unidades Hospitalares, e as limitações orçamentais constituem uma ameaça real aos médicos, nomeadamente aos mais novos. E a sessão de esclarecimento serviu para consciencializar que é possível com empenhamento de todos barrar a ofensiva e assegurar as condições dignas de exercício da profissão num SNS sustentável e de qualidade.

Assistiremos a um duro processo negocial que a não responder aos legítimos anseios profissionais culminará certamente numa ruptura dramática.

ZOË - Throwing rocks at demons



Os portugueses Zoe, Álbum "Synth.o.matic", de 2002

Ary dos Santos - O objecto



Há que dizer-se das coisas
o somenos que elas são.
Se for um copo é um copo
se for um cão é um cão.
Mas quando o copo se parte
e quando o cão faz ão ão?
Então o copo é um caco
e um cão não passa dum cão.
Quatro cacos são um copo
quatro latidos um cão.
Mas se forem de vidraça
e logo foram janela?
Mas se forem de pirraça
e logo forem cadela?
E se o copo for rachado?
E se o cão não tiver dono?
Não é um copo é um gato
não é um cão é um chato
que nos interrompe o sono.
E se o chato não for chato
e apenas cão sem coleira?
E se o copo for de sopa?
Não é um copo é um prato
não é um cão é literato
que anda sem eira nem beira
e não ganha para a roupa.
E se o prato for de merda
e o literato de esquerda?
Parte-se o prato que é caco
mata-se o vate que é cão
e escreveremos então
parte prato sape gato
vai-te vate foge cão
Assim se chamam as coisas
pelos nomes que elas são.

Registo da História



Jantar Comemorativo do 90.º Aniversário do Partido Comunista Português

Março de 2011
Restaurante em Paredes

Na foto: Mesa da Presidência do Jantar, distinguindo-se Juvilte Madureira (Comissão Concelhia de Paredes), João Pires (DORP), Cristiano Ribeiro (CC de Paredes), Álvaro Pinto ( a discursar, CC de Paredes) Bruno e Rui Leal (CC de Paredes)

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

grafismo

PORTO


Gorillaz - Feel Good inc.

o mistério do vírus que só ataca portugueses

A prolongada época de frio intenso, conjugada com a ocorrência tardia da epidemia de gripe sazonal e a circulação de outros vírus respiratórios serão as principais explicações para o excesso de mortalidade observado nas três primeiras semanas deste mês. Para já, são estas as justificações avançadas pelos responsáveis da Direção Geral da Saúde (DGS).

Podemos, portanto, ficar completamente tranquilos que este aumento de mortalidade não tem nada, mesmo nada que ver com a maior vulnerabilidade das vítimas da fome que assola o país, está menos relacionado ainda com o aumento brutal das tarifas eléctricas e ainda menos com o aumento das taxas moderadoras no sector da Saúde. Toda a gente tem dinheiro para comer, sobra muito para o aquecimento da casa e não falta para ir ao médico e para a farmácia. O vírus apanhou alguns distraídos, é tudo.

O que eu gostava mesmo de saber, escrito preto no branco pelas autoridades sanitárias, é se este vírus tem uma especial preferência por portugueses ou se, pelo contrário, este aumento de mortalidade também se verificou aqui ao lado, em Espanha, e no resto da Europa, muito mais fria. A avaliar pela imprensa estrangeira, que acompanho com alguma atenção, não houve nenhum aumento de mortalidade semelhante. E os meus amigos que vivem em França, Espanha e Alemanha ficaram surpreendidos com a pergunta quando tentei saber se o anormal também andou a fazer das suas por lá.

Pelo sim, pelo não, aconselha-se contenção verbal. Comprovadamente, o assassino não é surdo e ataca assim que ouve falar português. Podem tentar ludibriá-lo comunicando-se em língua estrangeira, mas é um risco. Não sabemos se também detecta sotaques. Há virus que sabem mais do que ao diabo esqueceu.

(em opaisdoburro.blogspot.com)

notícias da guerra social

Só no ano passado entraram em falência 10 mil empresas portuguesas, o que representa um aumento de 65 por cento face ao ano anterior. Cerca de 12 empresas fecharam por dia. A confirmar-se a recessão prevista para este ano, agora de 3,3 por cento, este cenário de falências pode ainda agravar-se.

Cerca de 28% dos portugueses cortam no uso do automóvel, 12% recorre mais ao transporte público

O preço dos combustíveis atinge novos máximos: gasolina 95 sem chumbo a 1,71 euros por litro, gasolina 98 sem chumbo a 1,86 euros por litro e gasóleo1,54 euros por litro.

1 em cada 4 portugueses tem o pagamento da renda de casa em atraso, 26% tem dificuldade em pagar a luz, a água e o gás.

Merkel e a cerveja



Há várias hipóteses e consequências:
1- O empregado, que é grego e de uma célula terrorista, serviu a cerveja em taça de vingança
2- O segurança que abanou a bandeja é francês ao serviço de sua majestade Sarkosy
3- Deus por momentos esteve atento
4- Os alemães preparam-se para lançar no mercado um novo champô universal
5- Merkel mandou fazer mais 10 cópias do fatinho oficial já que o n.º 442 foi para a lavandaria
6- Passos Coelho lamentou em Lisboa não ter estado presente em momento tão solene da construção europeia e optimista referiu as potencialidades imaculadas do vinho branco

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

LORDELO



Obras paradas no Centro Escolar 2 de Lordelo?

É sabido que a única força política representada na Assembleia Municipal de Paredes, que votou contra a construção dos novos Centros Escolares no concelho, foi a CDU.
A construção dos Centros Escolares foi considerada completamente desnecessária, pois com muito menos dinheiro, era possível requalificar os edifícios existentes e dotá-los de novos equipamentos, nomeadamente, tecnológicos.
Do ponto de vista financeiro, estas novas obras apenas servem para encher os bolsos dos administradores da Parque Escolar e de uns quantos amigos destes - mais um "monstro" criado pelos partidos do poder que ajuda a explicar a situação em que o país se encontra-, sem falar na factura energética e ambiental, num tempo, onde as escolas mal têm dinheiro para pagar a luz e água, quanto mais ar condicionado. Além disso, do ponto de vista pedagógico, é negativo concentrar tantos alunos no mesmo espaço...
No entanto, a construção destes equipamentos foi aprovada. No caso de Lordelo, tudo indica que as obras continuam no Centro Escolar da zona alta da cidade (junto à Zona Industrial) sem se saber a data da sua conclusão.
O outro Centro Escolar está muito mais atrasado. Volvido mais de meio ano das terraplanagens efectuadas para o prometido Centro Escolar da zona de baixo de Lordelo, junto à actual escola primária de Corregais (Rua da Abroeira), as obras pararam.
Pergunta-se: para quê destruir um monte inteiro para depois nada se fazer? Quando recomeçam as obras? E quando ficará pronto este novo Centro Escolar?

(em pcp-afarpa.blogspot.com)

Franz Ferdinand - take me out

humor



"Alguém viu o Passos Coelho?"

"Ainda agora andava por aí...."

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Assembleia Municipal de Paredes

A Assembleia Municipal de Paredes, na sua sessão de ontem, decorreu sob o signo dos divórcios. Assim:

O PSD anunciou a intenção de integrar Paredes na Área Metropolitana do Porto, confirmando diligências com a Junta Metropolitana do Porto, com o Secretário de Estado da Administração Local e Reforma Administrativa e com Miguel Relvas, Ministro dos Assuntos Parlamentares. Divórcio do Vale do Sousa e da Comunidade Urbana.

O PSD impôs a saída da participação de Paredes da Confraria do Vinho Verde e da Associação de Municípios Portugueses do Vinho. Divórcio da produção de vinho e das potencialidades de afirmação do concelho como produtor de vinho.

O Presidente da Câmara mostrou o divórcio do seu protagonismo politico para com a liderança actual do PSD e do Primeiro Ministro Passos Coelho.

O Presidente da Câmara mostrou o seu divórcio para com os interesses populares ao mostrar indiferença para com o novo horário de funcionamento do SASU de Paredes, tornando plausível a hipótese de ter havido uma concertação entre as direcções regionais de saúde e a autarquia.

A Câmara Municipal de Paredes e a Junta de Freguesia de Rebordosa formalizaram um corte de relações que extravasa o político e entra no domínio da intolerância e do maniqueísmo.

A crise foi abordada nas suas consequências, frustrações e leituras várias, sem que haja em muitos consciência das causas e agentes provocadores.

sarkosy

A PARTIR DO CARTAZ DA CANDIDATURA, O BOM HUMOR FRANCÊS ...



sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

UM PANFLETO COM VÁRIAS IDENTIDADES

O Bloco de Esquerda distribuiu nas escolas um documento com o significativo título: “Coisas que não aprendes nos livros da escola”. E que “coisas” são essas que os jovens desconhecem?

Vejamos algumas, bem polémicas.

Com o subtítulo “Quem domina a escola domina a sociedade”, diz o Bloco: “A escola pública é o lugar onde encontramos os nossos amigos, onde temos acesso a conhecimentos, onde experimentamos a democracia”. Este modelo de escola (a que chamarei o modelo facebook), onde a escola é quase só “espaço de alunos” reflecte uma visão facilitista, simplificada, onde a aprendizagem de saberes é conjuntural.

Com o subtítulo “Legalize it”, o Bloco promove a canábis a objecto de cultivo, comércio e consumo, e ao estatuto de uma inocente e pouco prejudicial droga. E a que tendo em conta uma “gestão individual dos riscos associados ao consumo”, o Estado não deve intervir, e logo deve legalizar para “fins recreativos”.

Com o subtítulo algo confuso “Nem menos nem mais direitos iguais!”, o Bloco de Esquerda entra no tema dos direitos associados ao género, ás sexualidades, e á representação social do modelo familiar. Mas a justificação é desastrosa.

“Por que é que um rapaz que anda com muitas raparigas é considerado um “garanhão” e uma rapariga que faça o mesmo uma “puta”? E por que é que “fufa” e “paneleiro” continuam a ser insultos com os quais nos agredimos? E em tua casa, quem passa a ferro e faz o jantar?”. Assim aborda o Bloco os problemas.

Há outros temas em que se pode discordar embora a argumentação apresentada possa ser considerada válida. São as opiniões do Bloco sobre o Dia da Defesa Nacional, sobre o voto aos 16 anos e a proibição de touradas com touros de morte ou espectáculos de circo com animais.

No fim, ficam as propostas de interesse, as que podem mobilizar os jovens, e unir programaticamente a outros sectores, como a utilização e reutilização de manuais escolares, a defesa ecológica do nosso mundo, a luta contra o capitalismo e suas consequências.

O Bloco dá assim uma imagem híbrida, com um liberalismo radical nos costumes e um progressismo em conteúdos sociais.

CARNAVAL, sempre!


Enquanto obrigava os trabalhadores da Câmara Municipal de Gaia a ir trabalhar, M...enezes foi passar o Carnaval no Alpes, a fazer esqui.É a expressão da injustiça desta decisão que o povo soube derrotar, festejando o Carnaval e dando-lhe um cunho de crítica social como há muito não se via.

Lamb - Lullaby



Em 1999, os Lamb eram assim
Álbum Fear of Fours

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

INTOLERÂNCIA DE PONTO

O fracasso da intolerância de ponto imposta na terça-feira de Carnaval aos funcionários públicos e a tentativa de a impor à generalidade dos trabalhadores portugueses é a melhor demonstração da ignorância e sobranceria com que o actual Governo trata os cidadãos.
A reboque da crise tentou-se acabar com uma tradição profundamente arreigada nos portugueses, uma tradição que tem até a vantagem de permitir alguma descompressão social e política, tão importante nos dias que correm. Os jovens tecnocratas que povoam o Governo, porém, não sabem o que é essa coisa do Carnaval e pensam que é apenas mais uma desculpa para que os madraços dos funcionários públicos e outros que tais não queiram trabalhar.
Felizmente, a resposta chegou, vigorosa e convincente, até de um largo número de autarquias do PSD, onde os respectivos autarcas ainda mantêm um pouco de dignidade e bom senso e perceberam, cedo, que acabar com o Carnaval, como Cavaco quis fazer há uns anos, seria um disparate de proporções oceânicas. Claro que no melhor pano cai sempre a nódoa e lá tivemos de assistir ao número circense de Fernando Seara a fazer-se filmar às nove da manhã a entrar para a câmara de Sintra, onde Carnaval não entra. Mas uma andorinha não faz a primavera…
Curiosamente assistimos a uma contradição nesta decisão que vale a pena assinalar. Este Governo, tão apressado a retirar o Estado de onde deve estar, foi incapaz de entender que é no Carnaval que o Estado deve manter presença mínima, assegurando apenas as condições para que se mantenha a tradição que, como se viu, está viva e resiste a todo e qualquer discurso de imperiosa necessidade de trabalhar neste dia para combater uma crise criada pelos mesmos que hoje, no Governo, tentam, a todo o custo responsabilizar aqueles que menos culpa têm nela.
O fim do Carnaval não pode, nem será nunca, decidido por decreto, como Passos Coelho pretendeu fazer. Como Cavaco quis fazer há vinte anos. O povo, essa entidade difusa e confusa, essa entidade que para tudo serve e que de todas as ofensas é alvo, não o permitiu e deu uma lição inesquecível a estes governantes arrogantes e prepotentes.
O disparate foi de tal monta que só depois da constatação de que o país estava mesmo parado é que o ilustre, mas não brilhante, ministro da Economia veio atribuir a paragem aos contratos colectivos em vigor na maioria das grandes empresas, nos quais está previsto o “feriado” de Carnaval. Não saberia antes o ministro que assim seria? Não saberia o ministro que, por muita fúria tecnocrata e financeira que ponha nas suas decisões, a vontade popular, ancorada em tradições seculares, é muito mais forte que um qualquer medíocre decreto de fim de Carnaval que o seu Governo possa emitir?
Outra curiosidade deste Carnaval é que, não sendo um feriado oficial, ficou provado que os portugueses dão muito mais importância a esta festa, a este dia de descanso, do que à celebração do feriado do Dia da Independência ou da instauração da República, com os quais este Governo quer acabar. Num e noutro caso apenas se ouviram alguns, pouquíssimos, protestos oriundos de vozes partidárias com ligações profundas aos feriados em causa.
Há quem defenda que o princípio do fim de Cavaco começou num Carnaval assim. Mas Cavaco estava no poder há quase dez anos nessa altura. Será que este Carnaval marca o princípio do fim antecipado de Passos Coelho e sua trupe?

(em pracadobocage.wordpress.com)

José Afonso- Os Bravos (musica da liberdade)


Nos 25 anos da sua morte física


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

CONVITE

A Ordem dos Médicos e o Grupo Médicos Unidos convidam-no a participar numa das três importantes Reuniões Gerais de Médicos a nível nacional. Estes eventos realizar-se-ão nos auditórios das respectivas secções da OM.

· LISBOA, dia 22 de Fevereiro pelas 21h. Esta reunião irá contar com a presença do Presidente da Secção Regional Sul, Prof. Doutor António Pereira Coelho;

· COIMBRA, dia 23 de Fevereiro pelas 21h. Esta reunião irá contar com a presença do Presidente da Secção Regional Centro, Dr. Fernando Gomes;

· PORTO, dia 27 de Fevereiro pelas 21h. Esta reunião irá contar com a presença do Presidente da Secção Regional Norte Dr. Miguel Guimarães.

Os representantes da FNAM (Federação Nacional dos Médicos) e do SIM (Sindicato Independente dos Médicos) confirmaram a sua participação nestas reuniões.

Estas iniciativas têm o objectivo de discutir propostas que defendam a qualidade da medicina e a dignidade dos médicos.
A sua comparência e participação são fundamentais neste período de intensa negociação com o Ministério da Saúde, transmitindo um sinal inequívoco da união da nossa classe.

A ordem de trabalhos será a seguinte:

1. Implementação das carreiras médicas e respectiva grelha salarial
2. Horas extraordinárias e futuro pagamento do serviço de urgência
3. Futuro do internato médico
4. Mobilidade e desemprego médico

Natalia Juskiewicz - Segredos

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

NEO-REALISMO



INFORMAÇÃO

Assembleia Municipal de Paredes
Sessão Ordinária de 25 de Fevereiro de 2012

Período da Ordem do Dia

1. Relatório de actividades e situação financeira do município_ para aprovação
2. Centro de Excelência para a Indústria do Mobiliário – Associação¬ _ para deliberação
3. Centro de Interpretação de Arte Pública / Posto de Turismo de Paredes - desafectação do domínio público da área de 200,3 m2 _ para aprovação
4. Pedido de transferência de parcela de terreno do domínio público para o domínio privado do município _ para aprovação
5. Acção de reclassificação do solo – declaração de interesse municipal – zona industrial da serrinha _ para aprovação
6. Acção de reclassificação do solo – declaração de interesse municipal – no âmbito da revisão do plano director municipal _ para aprovação
7. 1.ª Alteração ao Plano Director Municipal _ para aprovação
8. Associação de Municípios Portugueses do Vinho – AMVP - saída da Associação e cessação da qualidade de membro _ para aprovação
9. Região de Turismo Verde Minho e Confraria do Vinho Verde – saída da Associação e cessação da qualidade de membro (confrade) da Confraria do Vinho Verde _ para aprovação
10. Circular Rodoviária Externa á Cidade de Paredes – troço entre a rua 25 de Abril e a rua do Bairro – cidade de Paredes – declaração de interesse municipal_ para aprovação
11. Sinalização horizontal e vertical na EN 209 (km 25,5 a km 25,7) e rua dos Correios – Lordelo _ para aprovação
12. Sinalização vertical e horizontal na EN 15 na freguesia de Mouriz, do km 24,5 ao km 24,8 _para aprovação
13. Trânsito em várias avenidas, ruas, pracetas, rampas, pátio e travessas – na freguesia de Rebordosa _ para aprovação
14. Sinalização vertical e horizontal na Via Rota dos Móveis na Freguesia de Rebordosa_ para aprovação
15. Sinalização vertical de perigo de neve ou gelo em várias ruas e sinalização vertical na rua da Aldeia Nova, na freguesia de Astromil _ para aprovação

noticias da guerra social

Ao fim do primeiro mês de execução orçamental, o Estado arrecadou menos 7,9% em receitas fiscais do que em Janeiro do ano passado. Para esta diminuição contribuiu uma quebra na receita com o IRS e o IRC.

As empresas do Estado estavam obrigadas a cortar em 15% as despesas em 2011, mas os dados conhecidos ontem mostram que, em vez de pouparem, aumentaram os gastos em 1,9%.. É que o endividamento das empresas públicas continua a aumentar, tendo alcançado perto de 30 mil milhões de euros em 2011. O limite de 6% imposto pelo Governo não foi cumprido e houve casos em que a dívida remunerada disparou 31,4%, como aconteceu com a Estradas de Portugal

Arena - João Salaviza



REALIZADOR : João Salaviza
ATORES : Carloto Cotta, Cláudio Rosa, Rodrigo Madeira, Rafael Sardo

Curta-metragem portuguesa escrita, realizada e editada por João Salaviza, galardoada com a prestigiada Palma de Ouro (para curtas), em Cannes e em 2009. É o seu primeiro filme, assinado com os seus 25 anos

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Luis Represas e João Gil - Canção da Fome



Prezado senhor e rei,
Sabes a notícia grada?
Segunda comemos pouco,
Terça não comemos nada.
Quarta sofremos miséria,
E quinta passámos fome;
Na sexta quase nos fomos,
Não se aguenta quem não come!
Por isso vê se no sábado
Mandas cozer o pãozinho,
Senão no domingo, ó rei,
Vamos comer-te inteirinho."

Georg Weerth, in "Rosa do Mundo 2001 -- Poemas para o Futuro" (Assírio e Alvim).
Adaptação e musica de Luis Represas e joão Gil

Uma desorientação total

A Câmara Municipal de Paredes decidiu sair da Região de Turismo Verde Minho e da Confraria de Vinho Verde por alegadas dificuldades financeiras. A mesma decisão foi tomada para com a Associação de Municipios Portugueses do Vinho. A Assembleia Municipal de Paredes está convocada para o próximo sábado para ratificar a decisão do executivo em abandonar a representação nessas entidades.

Este abandono de compromissos estabelecidos respectivamente em 2001 e 2007 revelam a falência absoluta da estratégia dos sucessivos executivos do PSD em cooperar, representar interesses locais e afirmar-se regional e nacionalmente.pequena dificuldade de tesouraria mostra-se incapaz de assumir alternativas. O

O PSD paredense, através da sua intervenção autárquica, foi incapaz de justificar opções no passado, foi incapaz de as valorizar e de as incrementar e agora á mais tecido empresariaL, o comércio local, e a produção não podem contar com a dinâmica municipal, como se vê alheada dos seus interesses e dificuldades.

Em vez do turismo e agricultura, criadores de riqueza e emprego,temos um centro de interpretação da arte pública , a dita cidade inteligente e o polo do design...para os amigos...

POEMA

MÃO DE OBRA

Os pobres trabalham cedo
cedo começam a vida
tudo neles é sempre cedo
até a fome e a desgraça
uma estrela concebida
com duas chagas de medo
abertas esponjosas fundas
no corpo magro e doído
do homem desde criança
condenado a ser vendido
pesado numa balança
por qualquer preço colhido
na engrenagem ou teia
de uma aranha gigantesca
que em ventres de lua cheia
ainda no sangue os pesca
os domina suga enreda
em meandros de uma trama
que cobre a cidade toda
esta cidade que acorda
na marmita de um rapaz
com doze anos apenas
e poucas horas de sono
caminhando para a luta
dos olhos do capataz
que faz as vezes de dono.
Esta cidade que acorda
molhada triste dormente
e em vez de algum bombom
no ventre daquele menino
com doze anos apenas
e poucas horas de sono)
lhe amassa o pão numa açorda
que a própria fome da mãe
(a insónia do pão duro)
dá ao filho porque o dono
lhe marca bem o futuro
Que míseros escudos ganha
esta vítima da aranha.

João Apolinário

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Filme - O Véu Pintado




Título original:The Painted Veil
De:John Curran
Com:Edward Norton, Naomi Watts, Liev Schreiber Género:Drama Classificação:M/12 Outros dados:EUA, 2006, Cores, 125 min.

"O Véu Pintado" é uma história de amor passada nos anos 20, que nos conta a história de um jovem casal britânico: Walter, um médico da classe média, e Kitty, uma mulher da alta sociedade. Casam pelas razões erradas e mudam-se para Xangai, onde ela se apaixona por um outro homem. Quando Walter descobre a traição, aceita, num acto de vingança, um lugar numa aldeia remota da China, devastada por uma mortífera epidemia, e leva-a consigo para a castigar. Mas essa viagem acaba por se tornar libertadora. Baseado no romance clássico de Somerset Maugham, o filme é protagonizado por Edward Norton e Naomi Watts

grafismo


A Naifa - De Cara a la Pared



Álbum "Não se deitam comigo corações obedientes", de fevereiro de 2012

sábado, 18 de fevereiro de 2012

UM PÁSSARO A VOAR BAIXINHO, BAIXINHO




Miguel Beleza, ex-ministro das Finanças, e ex-governador do Banco de Portugal, ensaiou ontem uma nova argumentação num canal de TV. Afinal para ele as medidas da troika devem ser vistas de acordo com uma contradição: há uma parte da Troika que é boa e competente (o FMI) e a outra parte (a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu) que é constituída por indivíduos maus e incompetentes.
Assistimos assim á desculpabilização do desastre. Ou melhor: já há “verdadeiros” culpados. É Miguel Beleza, que já foi quadro do FMI, que o diz. Já “sabíamos” que o memorando da troika não tinha sido assinado pelo PS, mas sim por Sócrates e o seu governo. Agora temos um FMI de rabo de fora. Carnaval, mais uma vez.
A economia encolheu 1,5% em 2011. Nos últimos três meses do ano, caiu quase o dobro deste valor. No primeiro trimestre depois do anúncio, por parte deste governo, das medidas de austeridade, a atividade económica caiu 2,7% (dados do INE). A queda acumulada do volume de consumo público entre 2011 e 2013 deverá andar próximo dos 7,5% (dados do Banco de Portugal). O ritmo de crescimento das exportações abrandou para 4,4% (comparado dezembro de 2011 com o mês homólogo de 2010). Em relação ao mês anterior, a quebra do crescimento das exportações atingiu os 15,4% (dados do INE). O défice em 2011 foi superior, em 1.893 milhões de euros, ao previsto no Orçamento do Estado. Sim, a despesa desceu mais 440 milhões de euros do que estava previsto, mas as receitas ficaram 2.332 milhões de euros abaixo(dados da Unidade Técnica Orçamental da Assembleia da República). A dívida portuguesa aumentou em quase 20% do PIB entre o terceiro trimestre de 2010 e o mesmo período de 2011. Só a Grécia e a Itália estão pior que nós (dados do Eurostat). Os juros da dívida portuguesa no mercado secundário atingiram os 14,59% para o prazo de dois anos, 14,597% para o prazo de 10 anos e 18,79% para o prazo de 5 anos. O desemprego atingiu os 13,6 por cento. É a terceira maior taxa de desemprego da OCDE. Em Dezembro, 31% dos jovens portugueses com menos de 25 anos estavam desempregados (dados da Eurostat). Cerca de 670.604 famílias tinham entrado em incumprimento no pagamento dos seus empréstimos em 2011. Há mais 12.280 famílias a não pagar o seu empréstimo à habitação, um aumento muito superior ao de 2010 (dados do Banco de Portugal). É este o balanço de nove meses de aplicação do memorando da troika, que o social-democrata bem conhece..
Mas Beleza não pode deixar de mostrar as suas cumplicidades ideológicas. Ele finge não perceber o que se ganha com a convocatória de uma Greve Geral. Ele insinua até que Arménio Carlos não é patriota. Ele percebe que a Greve e outras manifestações de resistência popular servem para se gritar bem alto que O FMI não manda aqui! E que só dizendo isto, e consequentemente actuando para esse desígnio, conquistaremos a plena liberdade e independência. Beleza é um pássaro voando baixinho.

CR

Jorge Palma - A gente vai continuar

O PAÍS DE PASSOS COELHO, PORTAS E CAVACO

CARNAVAL, OUTRA VEZ

O Governo retira o Carnaval dos feriados mais ou menos oficiais. A Administração Pública deve cumprir essa decisão. Inúmeras Câmaras Municipais, independentemente de terem ou não a tradição de corsos carnavalescos, decidiram não seguir a orientação do Governo.
Há funcionários públicos que não terão acesso a transportes públicos geridos por essas Câmaras Municipais e que regularmente os transportam aos serviços. O Carnaval vai sair-lhe caro.
O Ministério da Saúde quer saber antecipadamente e no próprio dia de Carnaval qual a actividade programada e realmente efectivada das unidades de saúde, não se vá dar o caso de a folia do Carnaval substituir a consulta, o penso, a injecção. O Carnaval, essa manifestação profana e anti-troikiana, de máscaras e corpos nus, vai ser banido. Valha-nos Deus!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O verdadeiro significado dos resultados negativos da banca

Noticias da guerra social

O número de doentes que chegam às urgências com problemas cardíacos porque não têm dinheiro para comprar os medicamentos está a crescer. São sobretudo idosos a abandonar os tratamentos por falta de capacidade económica. A medicação pós enfarte, ou problemas como a hipertensão arterial, a diabetes, exigem terapêuticas contínuas.

A fábrica da Peugeot Citroen de Mangualde vai suspender o terceiro turno de laboração. Em causa estão pelo menos 300 trabalhadores. Como grande parte (mais de 95%) da laboração é para exportação, compreende-se que vai por água abaixo a orientação económica da Troika/Governo do reforço das exportações, para equilibrar a balança comercial.


Portugal lidera a quebra de vendas de carros na Europa, com uma queda de 47,4% em janeiro, quando o mercado europeu cai 7,1%. A França tem a segunda maior queda (menos 20,7% de carros vendidos).

Marques Mendes, ex-presidente do PSD, admite que o novo regime de mobilidade na Função Pública pode ser inconstitucional.

Zulya Kamalova -Tale of Love and Death.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

frase

"Não aceito os insultos do Senhor Schaüble ao meu país. Não o aceito como grego. Quem é o Senhor Schaüble para ridicularizar a Grécia? Quem pensam que são os holandeses? Quem pensam que são os finlandeses? Temos o orgulho não só de defender a nossa liberdade, não apenas o nosso país, mas a liberdade de toda a Europa".

Karolos Papoulias, Presidente da República da Grécia, com 82 anos, que combateu o regime nazi durante a II Guerra Mundial e que abdicou hoje do seu salário anual de 300 mil euros, num gesto de "solidariedade" com o povo grego, que está a ser alvo de "tantos sacrifícios"

NOTA DO PCP

Sobre o Inquérito ao Emprego do 4º trimestre do 2011

O INE acabou de divulgar os dados resultantes do Inquérito ao Emprego do 4º trimestre de 2011. A taxa de desemprego em sentido restrito calculada para este trimestre é de 14,0%, o que corresponde a 771 mil desempregados. Em sentido lato, isto é, incluindo o subemprego visível e os inactivos disponíveis, a taxa desemprego situa-se nos 20,3%, o que corresponde a mais de um milhão e cento e sessenta mil desempregados (1 160 700).

Em termos médios anuais, a taxa de desemprego em sentido restrito fixou-se nos 12,7%, o que corresponde a 706,1 mil desempregados, enquanto em sentido lato a taxa de desemprego média anual em 2011 foi já de 18,4%.

Os dados agora divulgados reflectem uma subida impressionante do desemprego no último trimestre de 2011 e uma queda enorme no emprego. Não há memória de queda tão abrupta no emprego e de subida do desemprego, entre dois trimestres consecutivos.

Neste período o número de trabalhadores considerados desempregados em sentido restrito aumentou em 81 400 e a queda do emprego foi de 118 300. Se adicionarmos ao nº de trabalhadores que perderam o seu emprego no 4º trimestre de 2011, a subida dos inactivos neste mês trimestre (+ 43 000 inactivos), que inclui muitos trabalhadores que caíram no desemprego e que desistiram de procurar emprego, concluímos que a subida real do desemprego só neste último trimestre deve ter ficado próximo de 124 mil.

Das subidas de desemprego registadas por grupos etários, destacam-se sem margem para dúvida a taxa de desemprego atingida entre os jovens (35,4%).
Dada a evolução da taxa de desemprego nos vários trimestres de 2011 (respectivamente de 12,4%, 12,1%, 12,4% e 14,0%) verifica-se que a taxa de desemprego média anual em sentido restrito (12,7%) superou todas as estimativas apresentadas quer pelo Governo (12,5%,), quer pelo FMI (12,4%), quer pela Comissão Europeia (12,6%), quer pela OCDE (12,5%).

A alarmante e insustentável situação revelada por estes dados, confirma o rumo de desastre que a política do Governo e o pacto de agressão estão a impor aos trabalhadores, ao povo e ao país. Dados que tornam mais urgente e imperiosa a ruptura com esta política, a rejeição deste pacto e a construção de uma política alternativa, patriótica e de esquerda.

apontamentos dispersos para a biografia de Cavaco Silva (XXV)






Quem tem cu tem medo.

(em 5dias.net)

INICIATIVA


Sabia que os delegados de saúde, necessários para uma junta médica, não vão ter capacidade de resposta em tempo útil para poder emitir atestados médicos de incapacidade multiuso, que os utentes com incapacidade igual ou superior a 60 por cento precisam para requerer a isenção da taxa moderadora?


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Ornatos Violeta - Ouvi Dizer

grafismo













Futebol e politica: a triste qualificação do Chile para o Mundial de 1974

Lia sobre o futebol e a política quando me lembrei, por coisas que não importa aqui esclarecer, a história da infame qualificação do Chile de Pinochet para o Mundial da Alemanha Federal, em 1974.É sabido que Pinochet usou o futebol como Franco e Salazar, em benefício de uma política de adormecimento nacional, de domesticação das vontades. No Chile foi o Colo Colo o clube utilizado. Em Espanha o Real Madrid. Em Portugal... bem, não vou entrar nessa polémica, sendo certo que independentemente dos emblemas mais ou menos queridos do regime, todo o futebol favoreceu - com honrosas excepções - a lógica dos três F's do fascismo português.

Regresso ao Chile de 1973 para lembrar que a 11 de Setembro o governo democraticamente eleito do presidente Allende é derrubado de forma cobarde e violenta, por parte das forças armadas chilenas em conluio com a CIA e os grupos monopolistas nacionais e internacionais. O Chile de Pinochet foi, desde o primeiro dia, um imenso campo de concentração, sendo certo que efectivos campos de concentração existiram desde o dia do golpe. Em Santiago a utilização de Estádios de futebol ficou célebre. Ali foram aprisionados, torturados e assassinados muitos chilenos.

Ditou o destino que, no percurso de qualificação das duas selecções nacionais de futebol do Chile e da União Soviética rumo ao Mundial de 1974, a eliminatória de todas as decisões se disputasse entre as duas. A primeira mão, disputada em Moscovo, teve lugar apenas dez dias depois do Golpe e teve como resultado um empate a zero.

A segunda mão, que tudo decidiria, foi marcada para 21 de Novembro de 1973, quando eram já amplamente conhecidas as práticas brutais do regime fascista chileno.

Provocatória e criminosamente, as autoridades chilenas escolheram como palco um dos Estádios utilizados pelo regime como campo de concentração, tortura e fuzilamento. A URSS emitiu então um comunicado anunciando a sua recusa de defrontar o Chile no local escolhido, a apelando à entidade organizadora da prova - a FIFA - para que não permitisse a realização da partida decisiva num espaço de morte e sofrimento.

A FIFA - presidida por um apoiante do Apartheid, Stanley Rous - visitou o Estádio, onde ainda se encontravam detidos presos políticos, e por fim deu o seu acordo à proposta da federação chilena, o que resultou no cumprimento, por parte dos soviéticos, da ameaça anunciada. O que se sucedeu foi um espectáculo deplorável, um dos mais lamentáveis da história do futebol mundial, com o Chile a apresentar-se em campo e a marcar numa das balizas - deserta - do Estádio de todos os sofrimentos um golo rídiculo, que selava o apuramento Chileno para a fase final na RFA.As imagens do triste espectáculo encontrei-as no Youtube. Ora vejam:




(em o-companheirovasco.blogspot.com)

apenas uma mercearia que quer vender mais?

“ O Estado não pode continuar a discriminar os estudantes portugueses que escolhem universidades privadas e por isso não têm direito a bolsas…” e “ esse apoio não pode ser negado a portugueses, por frequentarem o ensino não estatal, para ser dado a estudantes estrangeiros, apenas por frequentarem universidades estatais”. Assim falou o reitor da Universidade Católica.



Na mesma onda, o próprio Manuel Braga da Cruz disse mais: “a actual lei, ao sustentar a quase gratuidade da frequência do ensino superior gera uma insustentável injustiça social, como seja a de colocar os impostos dos menos favorecidos da sociedade ao serviço da formação superior dos mais favorecidos”.


E para acabar o ramalhete o ilustre representante da instituição católica concluiu: “o governo deve proceder a um corajoso aumento das propinas para o nível de custo real” porque “não se pode empurrar para as costas do Estado a obrigação quase exclusiva de financiar a universidade”.

O “negócio” dos diplomas vai mal, conclui-se. Os interesses da Universidade Católica colidem com os interesses do Estado Democrático, das Famílias, da Constituição. Não sou eu que o digo, é Braga da Cruz. Daí a oposição ao actual sistema de financiamento do ensino superior público, daí a crítica ao valor das propinas pagas pelos estudantes…no ensino público, daí o chauvinismo contra os estrangeiros frequentadores das nossas universidades. Mas Braga da Cruz para além de politicamente empenhado na defesa dos valores ultra-liberais, á sombra da santa madre Igreja (ai! a Opus Dei com o rabo de fora!), mostra-se moral e intelectualmente desastroso.



Assim: 1) onde está a quase gratuidade do ensino superior público? 2) se os impostos dos menos favorecidos da sociedade estivessem hipoteticamente ao serviço da formação superior dos mais favorecidos (frase sem qualquer sentido), por onde andarão os impostos dos mais favorecidos? 3) se o Estado aumentasse substancialmente as propinas no ensino público, os menos favorecidos da sociedade ficariam mais favorecidos? 4) há ou não bolsas para o ensino superior privado, tal como no ensino superior público?



CR

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Air - Seven Stars

humor

UMA NAÇÃO COM UM ESTRANHO AMOR-PRÓPRIO


(em wehavekaosinthegarden.blogspot.com)

apontamentos dispersos para a biografia de Cavaco Silva (XXIV)



Em visita à Finlândia, o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, afirmou que vai fazer uma apresentação muito positiva aos seus homólogos do chamado "Grupo de Arraiolos" ´(cá por mim prefiro a Confraria do Arinto de Bucelas), sobre a aplicação do programa da troika, as reformas do Governo e aquilo que ele considera um invejável acordo de concertação social.


A pergunta que fica por fazer é a seguinte: que credibilidade pode ter um cavalheiro que em Portugal se diz "provedor do povo", e de visita à Finlândia tudo aponta que seja provedor da troika?


(em aessenciadapolvora.blogspot.com)

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

A SIRIA, UM PRETEXTO DE UMA ESTRATÉGIA GLOBAL

Muitos de nós ainda acreditam infelizmente que há uma opinião pública mundial bem informada e esclarecida objectivamente pelos media internacional e representada politica e moralmente em decisões sérias de governantes de países democráticos. Seria o primado da verdade, da justiça, da legalidade, da moral e do bem, a impregnar consciências e inteligências em todo o mundo. Nada é mais errado. Esta realidade “evidente” transforma-se na “superior” falsificação e manipulação.

O caso sírio é exemplar. Vendem-nos com afinco a teoria da repressão e injustiça da política interna deste país do Oriente Médio.

De um momento para outro, “nasce” um ditador impiedoso e sanguinário nas notícias dos media dominantes e a condenação irrompe nos países da NATO e em capitais dos estados árabes do Golfo Pérsico. De um momento para outro, “nasce” uma contradição irredutível e agudizada entre um poder estabelecido e forças de oposição. De um momento para outro, “nasce” uma guerra civil em que meios consideráveis pró-guerra são disponibilizados, uma guerra total com estranhas motivações e ainda mais estranhos protagonistas.
De um momento para outro, “nasce” informação “motivada”, “militante”, “objectiva”, uma nova ética jornalística profissional que acredita na versão dos “bons” e não procura a objectividade dos factos. De um momento para outro, alianças estratégicas espúrias entre o pior fundamentalismo religioso, as monarquias feudais, o terrorismo apátrida, a Al Qaeda e os interesses regionais de países como a Turquia e Israel se evidenciam. Repete-se o cenário líbio, semelhante ao mais antigo cenário balcânico. O apoio á oposição síria é feito ás claras, com programas culturais, conferencias, centros de tradução, estudo da língua inglesa, acesso á Internet, mas sobretudo com armas, milícias, instrutores militares, baixas civis, atentados terroristas como em Alepo, apelos á deserção em massa de soldados.

O mundo está a poucos passos de uma conflagração no Médio Oriente, de consequências imprevisíveis no plano da segurança regional e internacional e da política mundial. A interferência nas questões internas da Síria vai transformar-se em intervenção militar directa. As principais forças de ataque serão provavelmente turcas. O primeiro passo passa por criar uma zona aérea de exclusão sobre a Síria, para criar um santuário em território sírio próximo da fronteira turca para a entrada de mercenários que possam ser apresentados como rebeldes sírios. Ao estilo “líbio”, com a mesma receita. Mas a Síria é um pretexto. O objectivo é o Irão, a sua importância regional, os seus recursos e matérias primas, a sua obstinação em politicas independentes e de resistência ao imperialismo USA. Daí o embargo do comércio externo e das transacções financeiras, a pressão económica e a destruição de infra-estruturas, o medo generalizado. Em resposta, o Irão ameaça suspender as exportações de petróleo saudita pelo Estreito de Ormuz.

O veto da China e da Rússia no Conselho de Segurança deve ser interpretado como um Não á expansão imperialista, e á influência obtida em guerras por procuração. A Liga Árabe constitui-se em organização servil e serventuária ao serviço do emir do Qatar, de oligarquias como a marroquina que julgam poder resistir se cúmplices do Império.
Mas cabe ao povo sírio em autonomia e racionalidade encontrar os caminhos do futuro. Bashar Al-Assad poderá ou não resistir. A História o absolverá ou não. Mas o fundamental está que os EUA e a Europa procuram regenerar o capitalismo através da guerra generalizada com países em desenvolvimento até ficarem prontos para a guerra com a Rússia e a China.

São muito perigosos os tempos presentes. Não perceber qual o lado certo da barricada pode ser trágico.

CR

Manifestação de 11 de Fevereiro 2012 - Eu não fiquei em casa

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

God is an Astronaut - All is Violent, All is Bright




Amanhã lá estaremos. Dez autocarros do Vale do Sousa. PRÁ LUTA!

Alemanha disponível para flexibilizar ajuda a Portugal



Um Momento Histórico

As câmaras de televisão captaram a forma como a vida de milhões de pessoas se decide nas altas instâncias da União Europeia. A forma como uns dominam e outros são dominados. Uma conversa de pé da orelha, na qual o ministro português se baixa, em paradigmática vénia reverencial, e o ministro alemão, sossegadamente instalado, dá a táctica, dita as ordens, dispõe-se a dar uma ajudinha ao seu súbdito. Fica para memória histórica, para registo futuro, este exemplo real e explícito da forma como uns mandam e outros obedecem. O nosso papel na UE foi sempre este. O da Alemanha também. Foi assim e assim será. Enquanto os povos o permitirem.

(em adargumentandum.wordpress.com)

A CAMORRA LUSITANA

Ludovina Silva, com 80 anos, decide vender a Quinta do Ambrósio em Fânzeres. Uma das filhas consegue marcar uma reunião co Valentim Loureiro em Junho de 2000, para lhe perguntar se a Câmara de Gondomar estava interessada. O Major diz que não, mas perante a aflição encaminha-a para o seu vice-presidente José Luís Oliveira, grande proprietário gondomarense e habitual negociador imobiliário.

É já em Outubro que José Luís Oliveira acorda verbalmente com a filha da viúva a compra da Quinta por pouco mais de um milhão de euros.

Aqui entra Laureano Gonçalves, advogado, ex-inspector das Finanças, e especialista em “estruturas fiscais”. É comparsa de Valentim nas questões desportivas (Boavista, Federação Portuguesa de Futebol) e passa a ser ele a face destas operações, além de sócio de José Luís Oliveira. Entretanto pouco tempo depois, ambos convidam o filho de Valentim, Jorge Loureiro, para fazer parte do negócio.
A STCP andava á procura de um local para uma nova estação de recolha de autocarros em Gondomar (está no Plano de Investimentos tornado público em 1999). A STCP aceita comprar a Quinta do ambrósio. Por quanto? 4 Milhões de euros. Quatro vezes mais do que havia sido combinado pagar á viúva poucos meses antes.

Laureano monta então uma estratégia através de empresas offshore nas Bahamas e Ilhas Caimão, para camuflar os quase 3 milhões de lucros da futura venda á STCP com a maior discrição e menos impostos possíveis.

Oliveira Marques e Gonçalves Martins, respectivamente presidente e administrador dos STCP, dão luz verde á compra da Quinta do Ambrósio apesar de não terem qualquer avaliação independente sobre o real valor do imóvel. Exigem também á Câmara de Gondomar que faça por desafectar a “reserva agrícola” que impendia sobre parte da quinta. As autorizações da CCDRN e os organismos da agricultura e ambiente surgem ainda durante o ano de 2001. Nunca chegou a haver qualquer estação da STCP na Quinta do Ambrósio.

Laureano fica entretanto com “plenos poderes de procurador” da viúva. É já ele quem trata do contrato-promessa, em Março de 2001, em nome de Ludovina, á STCP (e depois concretiza a escritura final em Dezembro de 2001).

Ludovina recebe um milhão de euros na conta do BCP (o combinado com o “vice” de Valentim), enquanto os restantes quase 3 milhões de lucros extra vão parar a uma conta do BPN que Laureano criou em nome da viúva. É este fiscalista quem os envia em nome de Ludovina para contas offshore a fim de se dividirem pelo Jorge Valentim, por José Luís Oliveira, e pelo próprio Laureano. Obviamente cada um deles com contas offshore (BPN – Caimão e Finibanco – Caimão).

O Tribunal condenou agora Jorge Valentim, José Luís Oliveira e Laureano Gonçalves … por branqueamento de capitais em um ano e dez meses de prisão…com pena suspensa. Não comprovou a burla qualificada, não provou um “alegado esquema ardiloso para ludibriar a dona dos terrenos”. Valentim é um $anto, frequentador de missas e procissões em todo o Gondomar. Nunca roubou um saco de polvo ou um frasco de champô.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

CARNAVAL

A Sociedade Portuguesa de Autores atribuiu o Prémio Vida e Carreira ao ex-Presidente da República Mário Soares pela actividade como “autor de livros”.

O Carnaval chegou mais cedo.

HUMOR






Contra os "piegas"!



O PAÇO É DO POVO


dEUS - Instant Street

ANGOLA, ANGOLAS

O episódio da suspensão da grelha de programação da Antena 1 de um programa de crónicas radiofónicas suscita comentários. Independentemente da suspensão preceder ou não a divulgação de uma polémica crónica, e portanto poder ser vista como prática censória, importa ver o conteúdo de um jornalismo prevalecente em determinadas áreas ou temáticas.
Angola merece ser discutida na sua pluralidade e complexidade. Há uma história comum que nos mobiliza racionalmente e emocionalmente. A evolução da sociedade angolana desperta sentimentos contraditórios, expectativas variadas. Estamos cada vez mais perto, até porque os interesses angolanos estão cá.
O conteúdo da crónica de Pedro Rosa Mendes é definitivamente um texto provocatório e condenável. Achincalha um povo, mesmo que pretendesse somente condenar um Estado e atingir uma liderança. É desproporcionadamente radical, como se Angola actual transportasse todos os demónios, todos os crimes, todas as ignomínias. E por ser radical é ineficaz.
Os “palhaços ricos” angolanos não serão muito diferentes dos “palhaços ricos” russos, ou do Qatar, ou da dinastia Bush a tresandar a petróleo texano. Os “novos ricos” angolanos terão uma ética de Estado semelhante á corte Berlusconiana, ou ao delírio expansionista dos amigos de Cavaco. Desconfio até que serão mais nacionalistas, em sentido amplo. Estivessem as riquezas angolanas nas mãos de multinacionais estrangeiras e certas vozes se calariam.
Mas Pedro Rosa Mendes e outros só vêem em Luanda (e significativamente não em Bruxelas, Bucareste ou Washington) as contradições do capitalismo florescente. Talvez pela cor da pele… Pena é não terem alertado para a mudança quando um “modernaço” Partido do Trabalho, integrante da Internacional Socialista e em degenerescência ideológica e programática, substituiu um MPLA tradicional e de massas.
Disfarça-se mal (antes se promove) o espírito do acerto de contas, em iniciativas de revanche histórica. São saudades do colonialismo português, assim aos farrapos. São saudades da guerra civil e da hegemonia do imperialismo e do apartheid sul-africano, assim como quem não quer a coisa. São saudades do soba africano, um sabimbismo politico-cultural.
Angola é importante para Portugal, mas compete aos angolanos lutar pelo seu destino. Angola é uma oportunidade de vida para milhares de portugueses, emigrantes involuntários de um Portugal falido e desgovernado, mas compete aos angolanos definir contrapartidas da sua hospitalidade.
A Judite de Sousa, louvaminhas da liderança africana e do Relvas ministro, é a mesma de sempre. Se não podes lutar contra o inimigo, alia-te a ele, é o lema. Mário Crespo e o “agente americano” Rafael Marques continuarão a fazer os números que os tempos televisivos lhe permitirem. Em nome da liberdade de expressão. E Angola caminhará nas margens de um futuro promissor e de uma sociedade muito mais justa, o que se deseja.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

MERKEL, A MADEIRA E O RESTO

Merkel dá Madeira como exemplo de má aplicação dos fundos estruturais

A chanceler alemã, Angela Merkel, deu na terça-feira a Madeira como um mau exemplo da aplicação dos fundos estruturais europeus, sublinhando que naquela região autónoma estas verbas "serviram para construir túneis e auto-estradas, mas não para aumentar a competitividade".
"Quem já esteve na Madeira, pôde ver para onde foram os fundos estruturais europeus. Há muitos túneis e auto-estradas bonitas, mas isso não contribuiu para que haja mais competitividade", observou a chefe do governo alemão, numa palestra proferida perante alunos, na Bela Foundation, em Berlim, noticiada esta noite pela RTP.
Na opinião de Merkel, os referidos fundos devem servir para apoiar as pequenas e médias empresas, por exemplo, como ficou decidido no recente Conselho Europeu, em Bruxelas, e não mais para construir estradas, pontes e túneis, como sucedeu, na sua opinião, naquela região autónoma portuguesa.A União Europeia aprovou a distribuição de cerca de 350 mil milhões de euros de fundos estruturais pelos Estados-membros no período entre 2007 e 2013, cabendo a Portugal cerca de 25 mil milhões de euros.
Uma proposta franco-alemã aprovada no Conselho Europeu, no início de Fevereiro, prevê o reencaminhamento dos fundos estruturais que ainda não tenham sido orçamentados para criar mais emprego e crescimento económico, sem prejuízo, no entanto, da verba orçamentada para cada país.

…e ainda ela não viu tudo

Já anteriormente (30 e 31 de outubro de 2011) tinha referido o túnel do farol da Ponta do Pargo e o edifício da Avenida Sá Carneiro, no Funchal, como exemplos de uma irresponsabilidade total na gestão dos recursos financeiros, nacionais e comunitários. Merkel diz agora o óbvio. Perante o silêncio de autoridades locais, regionais e nacionais, cúmplices. Pena não se referir a chanceler alemã o embuste e imoralidade do negócio da venda de material de guerra por parte da Alemanha, nomeadamente submarinos, a países em bancarrota como Portugal e Grécia.
Mas Merkel terá mais razões para expressar incómodo quando souber de obras de “qualificação urbana” em Penafiel, com a substituição de passeios por passeios ou em Paredes, onde a “acupunctura urbana” coloca “obras de arte” em espaços públicos mas não remove a favela ou a latrina da cidade.
Os fundos do QREN têm as costas largas. Antes de Merkel, façamos ouvir a nossa voz.

ESQUEMA DAS INVASÕES IMPERIALISTAS EM CURSO



terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

The Beatles - Getting Better




...It's getting better all the time...

REGISTO DA HISTÓRIA


Jaime Cortesão
Jaime Rebelo

Lutador antifascista tanto em Portugal como na Espanha, ativo militante sindical, Jaime Rebelo foi perseguido e torturado pela ditadura do Estado Novo. Foi um dos dinamizadores da Associação de Classe dos Trabalhadores do Mar – Casa dos Pescadores.
Jaime Rebelo viveu a maior parte da sua vida em Cacilhas e deixou em Almada, parte da sua família. Em 1931, na sequência da "greve dos 92 dias", Rebelo é preso e torturado pela PIDE e dá-se o episódio, descrito no poema de Jaime Cortesão.
Vítima de constantes perseguições, emigra para a Espanha onde se junta às milícias da CNT (Confederação Operária Anarco-sindicalista) e aí comanda uma unidade que combateu na frente meridional. Regressando a Portugal, continua a sua luta pela liberdade. Após a Revolução de Abril ajudou a criar o Centro de Cultura Libertária, em Cacilhas, com outros anarquistas como o Correia Pires, que também residia em Almada. Morreu em 7 de janeiro de 1975
Poema de um republicano (Jaime Cortesão) sobre um anarquista (Jaime Rebelo) publicado num jornal comunista (Avante!) em 1937. Este poema circulou clandestinamente nos anos trinta.

ROMANCE DO HOMEM DA BOCA FECHADA

Quem é esse homem sombrio
Duro rosto, claro olhar,
Que cerra os dentes e a boca
Como quem não quer falar?
– Esse é o Jaime Rebelo,
Pescador, homem do mar,
Se quisesse abrir a boca,
Tinha muito que contar.

Ora ouvireis, camaradas,
Uma história de pasmar.

Passava já de ano e dia
E outro vinha de passar,
E o Rebelo não cansava
De dar guerra ao Salazar.
De dia tinha o mar alto,
De noite, luta bravia,
Pois só ama a Liberdade,
Quem dá guerra à tirania.
Passava já de ano e dia…
Mas um dia, por traição,
Caiu nas mãos dos esbirros
E foi levado à prisão.

Algemas de aço nos pulsos,
Vá de insultos ao entrar,
Palavra puxa palavra,
Começaram de falar
- Quanto sabes, seja a bem,
Seja a mal, hás de contá-lo,
- Não sou traidor, nem perjuro;
Sou homem de fé: não falo!
- Fala: ou terás o degredo,
Ou morte a fio de espada.
- Mais vale morrer com honra,
Do que vida desonrada!

- A ver se falas ou não,
Quando posto na tortura.
- Que importam duros tormentos,
Quando a vontade é mais dura?!

Geme o peso atado ao potro
Já tinha o corpo a sangrar,
Já tinha os membros torcidos
E os tormentos a apertar,
Então o Jaime Rebelo,
Louco de dor, a arquejar,
Juntou as últimas forças
Para não ter que falar.
- Antes que fale emudeça! -
Pôs-se a gritar com voz rouca,
E, cerce, duma dentada,
Cortou a língua na boca.

A turba vil dos esbirros
Ficou na frente, assombrada,
Já da boca não saia
Mais que espuma ensanguentada!

Salazar, cuidas que o Povo
Te suporta, quando cala?
Ninguém te condena mais
Que aquela boca sem fala!

Fantasma da sua dor,
Ainda hoje custa a vê-lo;
A angústia daquelas horas
Não deixa o Jaime Rebelo.
Pescador que se fez homem
Ao vento livre do Mar,
Traz sempre aquela visão
Na sombra dura do olhar,
Sempre de boca apertada,
Como quem não quer falar.

JAIME CORTESÃO

O OLHO CEGO

Assistimos recentemente a uma barragem de fogo opinitiva com uma óbvia depreciação do papel dos sindicatos dos transportes, e da sua intervenção, por parte de conhecidos intervenientes na vida politica. Os sindicatos teriam, a seu ver, um protagonismo negativo, em lutas e greves, não se coadunando a sua orientação com os interesses das populações. Essa acusação não sendo original, surgiu em força em vozes anónimas, mais ou menos instrumentalizada.
Quando o governo PSD/CDS/ Cavaco aumenta os custos do passe social e bilhetes cujo valor médio é muito superior aos 5% que anunciou, quando o governo PSD/CDS/ Cavaco altera os passes sociais para idosos e jovens estudantes que passa a ser comparticipados a 25% e não a 50%, quando estes aumentos são o 3.º aumento num prazo de 13 meses, quando o governo PSD/CDS/ Cavaco promove o encerramento de serviços e linhas férreas, suprime carreiras, encurta e altera percursos, reduz e carruagens e velocidade das composições e horários de funcionamento, almas piedosas vêm diabolizar os trabalhadores dos transportes e as suas estruturas representativas descobrindo o pecado original da resistência e da defesa dos seus interesses. É encantador ver a preocupação recente de alguns com os interesses dos utentes, a seu ver não afectados fortemente pelas medidas descritas anteriormente, mas penalizados pela dificuldade de acesso ao transporte público em dia de greve. É o olho cego pelo preconceito e pela subserviência.
Aos trabalhadores dos transportes compete lutar por melhores condições salariais, melhores condições de trabalho. E também lutar pela função social do sector, pela qualidade do serviço público.
Com as medidas do governo PSD/CDS/ Cavaco assistir-se-á ao aumento do uso de transporte particular, e do consumo de combustíveis e dos tempos de deslocação. São a qualidade de vida da população, e a economia doméstica, que serão afectadas

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

a economia dia-a-dia

«Eurostat
Portugal é o terceiro país mais endividado da Europa

Económico com Lusa

O rácio da dívida portuguesa para 110% do PIB foi o segundo que mais aumentou no terceiro trimestre de 2011 na comparação anual.
O rácio da dívida pública portuguesa atingiu 110,1% do seu Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre de 2011, a terceira mais elevada da Europa, atrás de Grécia (159,1%) e Itália (119,6%).
De acordo com dados hoje divulgados pelo Eurostat, o rácio da dívida de Portugal foi o segundo que mais aumentou na comparação anual, avançando 18,9% por comparação com o terceiro trimestre de 2010, um pouco menos que o valor registado na Grécia, 20,3%.
O gabinete de estatísticas da União Europeia (UE) revela que a dívida pública global na zona euro ascende aos 87,4% do PIB, ao passo que nos 27 Estados-membros o rácio se situa nos 82,2%.
Os dados trimestrais sobre dívida pública são um novo indicador que hoje foi revelado pela primeira vez e que pretende facultar dados para uma análise de curto prazo da tendência da dívida pública na zona euro e na UE.
Estónia (6,1%), Bulgária (15%) e Luxemburgo (18,5%) são os Estados-membros da UE com menor rácio da dívida pública por comparação com o respectivo PIB.»

Youth Lagoon- 17



Álbum - The Year Of Hibernation

ESTE PAÍS NÃO É PARA VELHOS

São 2 milhões de idosos, mais precisamente 2.023.000 com mais de 65 anos. Destes 400.000 vivem completamente sozinhos. Vivem sozinhos nas aldeias rurais e sozinhos nas casas urbanas. Mais de um milhão recebe uma pensão entre os 169 e os 254 euros. Há mais velhos na Região Norte mas é em Lisboa e no Alentejo que a solidão mais atinge.
Somos um dos países mais envelhecidos do Mundo. Numa semana foram encontrados 5 idosos mortos em casa. Com o governo que temos muitos mais esperam a sua triste sina.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Sara González - Girón, la Victoria



A extraordinária voz de Sara González, de Cuba, canta "Girón, la Victoria", canção emblemática da Nueva Trova. Sara González morreu em Havana, Cuba, em 1 de fevereiro de 2012, com a idade de 60 anos.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

notícia

Empresa de mobiliário Persantos com salários em atraso!

A empresa Persantos, Indústria de Mobiliário, Lda., com sede em Vilela, concelho de Paredes, está sem pagar salários devidos aos seus trabalhadores.

São cerca de 35 a 40 os trabalhadores desta empresa da indústria do mobiliário que não receberam o salário do mês de Dezembro, nem receberam o salário do mês de Janeiro.

Esta é uma situação inaceitável que se torna ainda mais grave e escandalosa pelo facto da administração da empresa ter colocado nas instalações da empresa um aviso ofensivo e indigno para com os trabalhadores através do qual pretendia comunicar o não pagamento dos salários e informava de que tal pagamento não tinha data prevista para se concretizar.

Pela sua natureza indigna, reproduz-se a seguir o teor deste ofensivo aviso, de que aliás existem fotografias:“DADO A SITUAÇÃO ECONÓMICA GRAVE DO NOSSO PAÍS E EUROPA A NOSSA EMPRESA NÃO FUGIU À REGRA. PAGAREMOS LOGO QUE POSSÍVEL”.

(em pcplordelo.blogspot.com)

iniciativa


Paredes: comunistas divulgam jornal Avante!

No centro da cidade de Paredes, durante a tarde de hoje, foi montada uma banca para venda da edição especial do jornal Avante!, órgão oficial do Partido Comunista Português, e contacto com a população por parte de militantes comunistas.

Uma iniciativa da Comissão Concelhia de Paredes do PCP com vista ao esclarecimento do "acordo" de agressão aos trabalhadores subscrito, recentemente, pelo Governo/Patronato/UGT, dando seguimento ao pacto de agressão assinado pela troika nacional (PSD/PS/CDS) com a troika estrangeira (FMI/BCE/UE).

Os comunistas aproveitaram, também, para apelar à participação na manifestação nacional, convocada pela CGTP, para o próximo dia 13, em Lisboa, para “transformar o Terreiro do Paço no Terreiro do Povo!”

Trata-se de iniciativa a repetir com regularidade.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

dave matthews band - you and me

Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP-IN, entrevistado no "Jornal das...



"Isso é uma pergunta ou uma provocação?"

A Canalhice de Judite de Sousa

A pergunta não o é, de todo. É uma nojenta provocação. Uma afirmação rasteira e preconceituosa. Uma canalhice pura. Para o final da entrevista, Judite de Sousa, tinha reservado a cereja no topo do bolo. É mais um prego no caixão da credibilidade do jornalismo em Portugal, mas muito particularmente da infeliz intérprete. É ao minuto 11m19s.

(em adargumentandum.wordpress.com)

humor

DEPOIS DE TER VISTO A ÚLTIMA FACTURA DA EDP, PASSOU-ME O MEDO DE INFÂNCIA DO ESCURO.

AGORA TENHO MEDO É DA LUZ.

Um ministro em part-time

Em terra de cegos...

Afirmava esta noite Ângelo Correia num acalorado frente a frente com Alfredo Barroso, a propósito das leis que supostamente salvaguardam direitos adquiridos, que há valores que se sobrepõem a essas leis, não sei porquê saltaram-me de imediato à cabeça os nomes de Cavaco Silva, Miguel Beleza, Manuela Ferreira Leite, Campos e Cunha, Jacinto Nunes, Silva Lopes, Tavares Moreira, António de Sousa, entre mais algumas ilustres figuras que não se cansam de nos apontar que devemos colocar o "interesse do país" acima de qualquer outro. São estes figurantes, sabe-se lá em nome de que valor, que se preparam para receber o subsídio de férias e natal porque há uma lei que supostamente protege o Banco de Portugal do qual são pensionistas...

Deve também ser por essa razão que Aguiar Branco disse o mesmo aos militares, acrescentando que quem não estiver bem que se ponha ao fresco, logo ele que todas as segundas feiras depois de almoçar no Books, entra no nº 110 da rua José Falcão, no Porto, no escritório da sociedade de advogados José Pedro Aguiar-Branco & Associados. Demora-se algumas horas, e, ao fim da tarde, um Mercedes com motorista vai buscá-lo de regresso a Lisboa. Claro que Ângelo Correia tem toda a razão, os "valores" primeiro, "do sector bancário, do segurador, da distribuição, da indústria da cortiça, dos têxteis, do calçado e das telecomunicações", são estes os clientes e os valores de Aguiar Branco que tem uma perninha no governo e outra na sua sociedade de advogados. Topam? Ou não enxergam mesmo nada?

(em salvoconduto.blogs.sapo.pt)


Cuba e Brasil



Porto de Mariel, em Cuba, revive com investimento brasileiro

Uma parceria entre Brasil e Cuba pretende transformar o Porto de Mariel, a 40 km de Havana, em um dos maiores da América Latina.
A presidente Dilma Rousseff visita nesta terça-feira o local, que deve se tornar o principal símbolo do recente processo de abertura econômica da ilha.
Serão investidos, em quatro anos, US$ 957 milhões, dos quais US$ 682 milhões (71%) financiados pelo BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social). Trata-se da maior obra em Cuba desde que, em 1959, Fidel Castro liderou a Revolução que o levou ao poder e instaurou o socialismo no país.
A viagem de Dilma a Cuba ocorre uma semana após a liberação da última parcela do empréstimo à obra, executada pela empresa brasileira Odebrecht, iniciada em 2010 e prevista para terminar em 2014.
Em visita ao porto em setembro, o presidente Raúl Castro afirmou: "Esta obra tem uma importância econômica extraordinária, não só para o desenvolvimento presente do país, mas também para o futuro".
O empreendimento inclui uma "zona especial de desenvolvimento" de 400 quilômetros quadrados, que abrigará indústrias voltadas à exportação e ao mercado cubano.
Segundo diplomatas brasileiros, além de ajudar Cuba em sua missão de "atualizar" o socialismo e diversificar suas fontes de receitas, a ampliação do porto abrirá oportunidades de negócios para empresas brasileiras interessadas em se instalar ou expandir as operações na América Central.
E caso os Estados Unidos suspendam seu embargo econômico à ilha, as empresas instaladas no porto terão acesso privilegiado ao maior mercado global, uma vez que Mariel está a apenas 160 km do Estado americano da Flórida.
Por ora, uma companhia brasileira – a fabricante de vidro Fanavid – já se prepara para abrir uma unidade no local, em associação com o governo cubano. Cerca de 80% da produção da fábrica deverá se destinar à exportação.
As obras em Mariel incluem ainda ações para facilitar o acesso de produtos ao porto, como a reforma de mais de 30 km de estradas e a construção de 18 km de rodovias, 63 km de estrutura para ferrovias e quase 13 km de vias ferroviárias.
Com a dragagem do porto, que permitirá seu uso por navios de grande calado, ele poderá movimentar 1 milhão de contêineres por ano. Comparado com portos brasileiros, Mariel só terá capacidade inferior ao de Santos, que em 2011 movimentou 2,7 milhões de contêineres.
Também serão construídos 700 metros de cais para o terminal de contêineres, um centro de carga, pátios, redes de abastecimento de água e tratamento de resíduos, além de toda infraestrutura para o fornecimento de energia elétrica.
Atualmente 2,7 mil trabalhadores atuam nas obras; após a conclusão do porto, espera-se que ele gere 3 mil empregos diretos e 5 mil indiretos.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Pintura portuguesa - Silva Porto





António Carvalho da Silva Porto (Porto, 1859-1893)
Figura maior da pintura naturalista portuguesa do século XIX
A luz, a atmosfera, a cor, a natureza
Obras no Museu Nacional Soares dos Reis, Museu do Chiado, Casa Museu Anastásio Gonçalves
Obras principais:
A Ceifa,
Guardando o Rebanho
No Areinho, Douro
Colheita, Ceifeiras

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Teresa Silva Carvalho - Cantemos Até Ser Dia



FESTIVAL DA CANÇÃO DE 1979

PCP - Contra a privatização dos CTT

TESTEMUNHO

A Consulta de Interrupção Voluntária de Gravidez, na Unidade de Saúde de Penafiel, funcionava desde 2008. Desde os tempos seguintes á aprovação da Lei 16/2007. Era uma realidade muito sui generis pois funcionava em estabelecimento oficial no âmbito dos Cuidados de Saúde Primários, com profissionais da Medicina Geral e Familiar e apoio de Psicologia. Numa experiência organizacional só com paralelo no País em Amarante e Viana do Castelo.
Os profissionais ousaram criar uma consulta regular e qualificada que informou, executou e avaliou a prática da Interrupção da Gravidez por Vontade da Mulher através de método medicamentoso, sem recurso prévio a métodos cirúrgicos. Partiu-se da vontade e disponibilidade de 10 profissionais, alheios ao cómodo estatuto de objectores de consciência.
Durante 4 anos atenderam quase um milhar de mulheres, com as suas angústias, dúvidas e vontades. Cumpriram normas orientadoras estritas, obtiveram resultados de eficácia, morbilidade e complicações idênticos aos previstos na literatura. Não vacilaram nos objectivos, limites e motivação. Resistiram a pressões, muitas delas de foro íntimo.
Foram sujeitos a rigorosa auditoria interna, avaliação inspectiva de local, de equipamentos e de práticas. E foram aprovados. Mereceram um prémio em Congresso Nacional, um 1º prémio ex. aequo na apresentação de Poster sobre caracterização de utentes. E foram aplaudidos.
Agora acabou. Á mudança de enquadramento pela hierarquia superior, que lhes limitou a autonomia e reduziu padrões de satisfação, alterando horário e remuneração, disseram colectivamente NÃO. Aos constrangimentos financeiros cegos e indevidos disseram ASSIM NÃO. Com pesar e preocupação pelo futuro de muitas mulheres, quando em situação tão vulnerável e difícil.
Mereciam mais. No mínimo, continuar discretamente a servir publicamente. Em nome de direitos.

CR